Receitas mais recentes

O menu do Taco Bell sofre grandes mudanças em meio à pandemia do Coronavirus

O menu do Taco Bell sofre grandes mudanças em meio à pandemia do Coronavirus

© Manuel Esteban | Dreamstime.com

É hora de colocar sua balada favorita de Sarah McLachlan na fila. A Taco Bell anunciou que irá oficialmente aposentar vários itens de menu favoritos do culto em um esforço para agilizar as operações.

Receitas imitadoras de fast food para chipotle, Taco Bell e muito mais

Os fãs têm até 13 de agosto para pegar os seguintes itens do menu mais uma ou uma dúzia de vezes: o Bife Grelhado Soft Taco Burrito, 7 Camadas Burrito, Nachos Supreme, Beefy Fritos Burrito, Spicy Tostada, Tripla Camada Nachos, Spicy Potato Soft Taco , Batatas Cheesy Fiesta, Grelhadores Loaded (Batata Cheesy e Nacho Beefy), Batatas Fritas e Molhos e a Mini Tigela de Frigideira de Café da Manhã.

Um outro item, o Quesarito, será removido dos cardápios do restaurante, mas ainda poderá ser pedido por meio do aplicativo ou site da Taco Bell.

Entre esses itens que serão retirados em breve estão vários pratos vegetarianos favoritos. No entanto, a Taco Bell lançou um novo menu vegetariano no ano passado e está incentivando os clientes a lembrar que o menu restante é personalizável. Qualquer proteína pode ser substituída por feijão e as opções vegetarianas estão rotuladas no menu.

Para compensar os itens removidos, a Taco Bell também introduziu dois novos itens de menu: uma caixa de Grande Nachos de $ 5 e Burrito de carne de $ 1.

Esta não é a primeira vez no ano passado que a Taco Bell cortou seu menu. Em setembro de 2019, a rede lançou Double Decker Tacos, Cool Ranch Doritos Locos Tacos, Beefy Mini Quesadillas e mais itens de seu menu. Felizmente, você ainda pode obter Cinnamon Twists do Taco Bell, Crunchwrap Supreme e mais dos itens de menu de fast food mais icônicos de todos os tempos.


Restaurantes Slim Down Menus em meio a condições pandêmicas

A pandemia está forçando algumas operadoras a considerar o corte de itens e complexidades de seus menus.

Os hábitos do consumidor mudaram, talvez de forma irreversível, no ano passado. Os operadores estão vendo clientes que não querem escolha tanto quanto facilidade devido à pandemia, e agora os restaurantes estão reduzindo seus cardápios para acomodar essa mudança.

Bruce Reinstein, sócio da empresa de consultoria de gestão Kinetic12, diz que essa tendência de simplificação do menu não é apenas uma fase pandêmica - é o futuro.

“Claramente, não há nada de bom no COVID quando você olha para ele de uma forma geral”, diz ele. “Mas, no que diz respeito ao negócio de restaurantes, é forçado os operadores a pensar, meio que voltar ao básico e reavaliar como fazem negócios.”

Um menu reduzido é um componente da visão de Reinstein para o restaurante do futuro. De acordo com sua pesquisa, os restaurantes pós-COVID-19 vão adotar novas estratégias de eficiência para atender às expectativas do consumidor. Este “Restaurante 2.0” desafiará as configurações tradicionais, empregando uma equipe mais multifuncional, tendo mais opções sem toque e projetando cozinhas mais compactas, entre outras mudanças. Mas todos os recursos estão conectados ao menu.

“Se você tem um menu simples, ele deve ter um impacto sobre seu trabalho, seus custos, seu fluxo de receita, tudo isso. Mas você tem que começar de algum lugar ”, diz Reinstein.

Ele atribui esse encolhimento do menu em parte à psique do consumidor, que redefiniu o termo “comida caseira” desde a pandemia. Não é apenas mac ‘n’ cheese ou pot assado atualmente, é qualquer coisa que faça o cliente se sentir bem, e os donos de restaurantes podem aproveitar essa mudança descobrindo exatamente quais sabores atraem o consumidor especificamente para sua marca. A partir daí, os restaurantes podem desenvolver um cardápio mais simplificado com base nesses ingredientes para fazer com que os clientes voltem sempre.

“É assim que você deve ser criativo hoje em dia - aumentar a frequência de visitas do seu consumidor e mantê-lo simples”, diz Reinstein. “Dê a eles o que eles querem, mas faça variações disso.”

Além disso, ele aconselha os restaurantes a manter o hóspede externo em mente ao fazer alterações no menu. Ele prevê que os negócios fora do local superem as vendas presenciais, mesmo depois que a pandemia passou, então, criar um menu que seja mais fácil de executar é importante para essa dinâmica do consumidor.

A rede Torchy’s Tacos da Taco fez alterações para apoiar várias das previsões de Reinstein, tendo adicionado vários produtos externos ao seu menu durante a pandemia. Mas esses negócios externos não estão aumentando o cardápio da Torchy, eles estão simplesmente tomando o lugar de alguns dos tacos mais vendidos da rede, que a empresa cortou. Ainda assim, o CEO da Torchy G.J. Hart quer oferecer algo novo ao cliente.

“É importante para nós continuar a trazer inovações para o mercado, apesar dos desafios da COVID”, diz Hart.

Um desses itens é o Family Pack, que permite que os clientes escolham carnes, tortilhas e outras coberturas Torchy's para levar para casa e criar os próprios tacos. A marca também criou At-Home Margarita Kits para vender receitas de bebidas alcoólicas exclusivas, que variam em cada estado.

Para continuar inovando, a rede oferece o “Taco do Mês”. Por meio dessa oferta por tempo limitado, os fãs de Torchy estão vendo o ressurgimento de sabores antigos como o taco Bottle Rocket Shrimp, bem como novos itens como o Daredevil Queso Blanco.

A rede de sanduíches Cheba Hut também reduziu seu cardápio no auge da pandemia, optando por 12 sanduíches selecionados para superar a crise. O "Dank Dozen" do cardápio de Cheba Hut manteve os mais vendidos enquanto minimizava os ingredientes, criando uma estratégia de sobrevivência sólida quando os líderes não tinham certeza de como a loja se sairia.

“Não sabíamos se cairíamos para um quarto de nossas vendas, ou metade de nossas vendas, ou onde iríamos pousar”, disse Seth Larsen, diretor de relacionamento da Cheba Hut. “Portanto, tomar essas decisões rápidas era importante e definitivamente ajudou a equipe a executar.”

Ele diz que os cinco melhores sanduíches de Cheba Hut impulsionam a maior parte das vendas do restaurante, como a maioria dos outros restaurantes. Mas essa mudança levou o restaurante a colocar quadros personalizados em toda a sua localização para notificar os consumidores que estavam entrando na loja sobre a disponibilidade do produto.

Enquanto o quadro personalizado notificou os clientes da loja a qualquer momento, a rede teve problemas para traduzir seu menu mais simples para o cliente externo no domínio da tecnologia. Mas Larsen diz que este foi apenas um problema temporário.

Apesar do aumento da eficiência, há algum valor em manter um menu mais inchado, já que alguns clientes do Cheba Hut vão querer seus favoritos do menu, mesmo que não esteja disponível. “Nós realmente queremos impulsionar as vendas de nossos sanduíches básicos, mas também tendo em mente que já estamos no mercado há 22 anos e temos alguns clientes muito leais”, diz Larsen. “Então, se livrar do sanduíche de atum simplesmente não é uma opção.”

Para a maior parte, Cheba Hut retornou a um menu que oferece uma oferta semelhante à redução de peso pré-pandêmica. Mas Larsen diz que o restaurante usará o menu reduzido como estratégia se surgir qualquer outro problema com a cadeia de suprimentos, mesmo após a pandemia.

Como as incertezas da cadeia de suprimentos provavelmente serão uma grande parte do futuro, a simplificação do menu parece que veio para ficar - pelo menos até que os suprimentos se estabilizem. Quem faz um plano para simplificar o cardápio está mais bem equipado no setor mesmo sem o COVID.

Mas Larsen diz que a transição para um menu mais enxuto precisa ser lenta e constante.

“Você não pode ter reações instintivas nunca no mundo dos negócios, e certamente não durante a pandemia”, diz Larsen. “Mas isso não significa que você não está coletando informações, não está falando sobre decisões difíceis, não está se preparando para o que pode precisar ser feito.”


Restaurantes Slim Down Menus em meio a condições pandêmicas

A pandemia está forçando algumas operadoras a considerar o corte de itens e complexidades de seus menus.

Os hábitos do consumidor mudaram, talvez de forma irreversível, no ano passado. Os operadores estão vendo clientes que não querem escolha tanto quanto facilidade devido à pandemia, e agora os restaurantes estão reduzindo seus cardápios para acomodar essa mudança.

Bruce Reinstein, sócio da empresa de consultoria de gestão Kinetic12, diz que essa tendência de simplificação do menu não é apenas uma fase pandêmica - é o futuro.

“Claramente, não há nada de bom no COVID quando você olha para ele de uma forma geral”, diz ele. “Mas, no que diz respeito ao negócio de restaurantes, é forçado os operadores a pensar, meio que voltar ao básico e reavaliar como fazem negócios.”

Um menu reduzido é um componente da visão de Reinstein para o restaurante do futuro. De acordo com sua pesquisa, os restaurantes pós-COVID-19 vão adotar novas estratégias de eficiência para atender às expectativas do consumidor. Este “Restaurante 2.0” desafiará as configurações tradicionais, empregando uma equipe mais multifuncional, tendo mais opções sem toque e projetando cozinhas mais compactas, entre outras mudanças. Mas todos os recursos estão conectados ao menu.

“Se você tem um menu simples, ele deve ter um impacto sobre seu trabalho, seus custos, seu fluxo de receita, tudo isso. Mas você tem que começar de algum lugar ”, diz Reinstein.

Ele atribui esse encolhimento do menu em parte à psique do consumidor, que redefiniu o termo “comida caseira” desde a pandemia. Não é apenas mac ‘n’ cheese ou pot assado atualmente, é qualquer coisa que faça o cliente se sentir bem, e os donos de restaurantes podem aproveitar essa mudança descobrindo exatamente quais sabores atraem o consumidor especificamente para sua marca. A partir daí, os restaurantes podem desenvolver um cardápio mais simplificado com base nesses ingredientes para fazer com que os clientes voltem sempre.

“É assim que você deve ser criativo hoje em dia - aumentar a frequência de visitas do seu consumidor e mantê-lo simples”, diz Reinstein. “Dê a eles o que eles querem, mas faça variações disso.”

Além disso, ele aconselha os restaurantes a manter o hóspede externo em mente ao fazer alterações no menu. Ele prevê que os negócios externos superem as vendas presenciais, mesmo depois que a pandemia passou, então, criar um menu que seja mais fácil de executar é importante para essa dinâmica do consumidor.

A rede Torchy’s Tacos da Taco fez alterações para apoiar várias das previsões de Reinstein, tendo adicionado vários produtos externos ao seu menu durante a pandemia. Mas esses negócios externos não estão aumentando o cardápio da Torchy, eles estão simplesmente tomando o lugar de alguns dos tacos mais vendidos da rede, que a empresa cortou. Ainda assim, o CEO da Torchy G.J. Hart quer oferecer algo novo ao cliente.

“É importante para nós continuar a trazer inovações ao mercado, apesar dos desafios da COVID”, diz Hart.

Um desses itens é o Family Pack, que permite que os clientes escolham carnes, tortilhas e outras coberturas Torchy's para levar para casa e criar os próprios tacos. A marca também criou At-Home Margarita Kits para vender receitas de bebidas alcoólicas exclusivas, que variam em cada estado.

Para continuar inovando, a rede oferece o “Taco do Mês”. Por meio dessa oferta por tempo limitado, os fãs de Torchy estão vendo o ressurgimento de sabores antigos como o taco Bottle Rocket Shrimp, bem como novos itens como o Daredevil Queso Blanco.

A rede de sanduíches Cheba Hut também reduziu seu cardápio no auge da pandemia, optando por 12 sanduíches selecionados para superar a crise. O "Dank Dozen" do cardápio de Cheba Hut manteve os mais vendidos enquanto minimizava os ingredientes, criando uma estratégia de sobrevivência sólida quando os líderes não tinham certeza de como a loja se sairia.

“Não sabíamos se cairíamos para um quarto de nossas vendas, ou metade de nossas vendas, ou onde iríamos pousar”, disse Seth Larsen, diretor de relacionamento da Cheba Hut. “Portanto, tomar essas decisões rápidas era importante e definitivamente ajudou a equipe a executar.”

Ele diz que os cinco melhores sanduíches de Cheba Hut impulsionam a maior parte das vendas do restaurante, como a maioria dos outros restaurantes. Mas essa mudança levou o restaurante a colocar quadros personalizados em toda a sua localização para notificar os consumidores que estavam entrando na loja sobre a disponibilidade do produto.

Enquanto o quadro personalizado notificou os clientes da loja a qualquer momento, a rede teve problemas para traduzir seu menu mais simples para o cliente externo no domínio da tecnologia. Mas Larsen diz que este foi apenas um problema temporário.

Apesar do aumento da eficiência, há algum valor em manter um menu mais inchado, já que alguns clientes do Cheba Hut vão querer seus favoritos do menu, mesmo que não esteja disponível. “Nós realmente queremos impulsionar as vendas de nossos sanduíches básicos, mas também tendo em mente que já estamos no mercado há 22 anos e temos alguns clientes muito leais”, diz Larsen. “Então, se livrar do sanduíche de atum simplesmente não é uma opção.”

Para a maior parte, Cheba Hut retornou a um menu que oferece uma oferta semelhante à redução de peso pré-pandêmica. Mas Larsen diz que o restaurante usará o cardápio reduzido como estratégia se surgir qualquer outro problema com a cadeia de suprimentos, mesmo após a pandemia.

Como as incertezas da cadeia de suprimentos provavelmente serão uma grande parte do futuro, a simplificação do menu parece que veio para ficar - pelo menos até que os suprimentos se estabilizem. Quem faz um plano para simplificar o cardápio está mais bem equipado no setor mesmo sem o COVID.

Mas Larsen diz que a transição para um menu mais enxuto precisa ser lenta e constante.

“Você não pode ter reações instintivas nunca no mundo dos negócios, e certamente não durante a pandemia”, diz Larsen. “Mas isso não significa que você não está coletando informações, não está falando sobre decisões difíceis, não está se preparando para o que pode precisar ser feito.”


Restaurantes Slim Down Menus em meio a condições pandêmicas

A pandemia está forçando algumas operadoras a considerar o corte de itens e complexidades de seus menus.

Os hábitos do consumidor mudaram, talvez de forma irreversível, no ano passado. Os operadores estão vendo clientes que não querem escolha tanto quanto facilidade devido à pandemia, e agora os restaurantes estão reduzindo seus cardápios para acomodar essa mudança.

Bruce Reinstein, sócio da empresa de consultoria de gestão Kinetic12, diz que essa tendência de simplificação do menu não é apenas uma fase pandêmica - é o futuro.

“Claramente, não há nada de bom no COVID quando você olha para ele de uma forma geral”, diz ele. “Mas, no que diz respeito ao negócio de restaurantes, é forçado os operadores a pensar, a meio que voltar ao básico e reavaliar como fazem negócios.”

Um menu reduzido é um componente da visão de Reinstein para o restaurante do futuro. De acordo com sua pesquisa, os restaurantes pós-COVID-19 vão adotar novas estratégias de eficiência para atender às expectativas do consumidor. Este “Restaurante 2.0” desafiará as configurações tradicionais, empregando uma equipe mais multifuncional, tendo mais opções sem toque e projetando cozinhas mais compactas, entre outras mudanças. Mas todos os recursos estão conectados ao menu.

“Se você tem um menu simples, ele deve ter um impacto sobre seu trabalho, seus custos, seu fluxo de receita, tudo isso. Mas você tem que começar de algum lugar ”, diz Reinstein.

Ele atribui esse encolhimento do menu em parte à psique do consumidor, que redefiniu o termo “comida reconfortante” desde a pandemia. Não é apenas mac ‘n’ cheese ou pot assado atualmente, é qualquer coisa que faça o cliente se sentir bem, e os donos de restaurantes podem aproveitar essa mudança descobrindo exatamente quais sabores atraem o consumidor para sua marca especificamente. A partir daí, os restaurantes podem desenvolver um cardápio mais simplificado com base nesses ingredientes para fazer com que os clientes voltem sempre.

“É assim que você deve ser criativo hoje em dia - aumentar a frequência de visitas do seu consumidor e mantê-lo simples”, diz Reinstein. “Dê a eles o que eles querem, mas faça variações disso.”

Além disso, ele aconselha os restaurantes a manter o hóspede externo em mente ao fazer alterações no menu. Ele prevê que os negócios fora do local superem as vendas presenciais, mesmo depois que a pandemia passou, então, criar um menu que seja mais fácil de executar é importante para essa dinâmica do consumidor.

A rede Torchy’s Tacos da Taco fez alterações para apoiar várias das previsões de Reinstein, tendo adicionado vários produtos externos ao seu menu durante a pandemia. Mas esses negócios externos não estão aumentando o cardápio da Torchy, eles estão simplesmente tomando o lugar de alguns dos tacos mais vendidos da rede, que a empresa cortou. Ainda assim, o CEO da Torchy G.J. Hart quer oferecer algo novo ao cliente.

“É importante para nós continuar a trazer inovações ao mercado, apesar dos desafios da COVID”, diz Hart.

Um desses itens é o Family Pack, que permite que os clientes escolham carnes, tortilhas e outras coberturas Torchy's para levar para casa e criar os próprios tacos. A marca também criou At-Home Margarita Kits para vender receitas de bebidas alcoólicas exclusivas, que variam em cada estado.

Para continuar inovando, a rede oferece o “Taco do Mês”. Por meio dessa oferta por tempo limitado, os fãs de Torchy estão vendo o ressurgimento de sabores antigos como o taco Bottle Rocket Shrimp, bem como novos itens como o Daredevil Queso Blanco.

A rede de sanduíches Cheba Hut também reduziu seu cardápio no auge da pandemia, optando por 12 sanduíches selecionados para superar a crise. O "Dank Dozen" do cardápio de Cheba Hut manteve os mais vendidos enquanto minimizava os ingredientes, criando uma estratégia de sobrevivência sólida quando os líderes não tinham certeza de como a loja se sairia.

“Não sabíamos se cairíamos para um quarto de nossas vendas, ou metade de nossas vendas, ou onde iríamos pousar”, disse Seth Larsen, diretor de relacionamento da Cheba Hut. “Portanto, tomar essas decisões rápidas era importante e definitivamente ajudou a equipe a executar.”

Ele diz que os cinco melhores sanduíches de Cheba Hut impulsionam a maior parte das vendas do restaurante, como a maioria dos outros restaurantes. Mas essa mudança levou o restaurante a colocar quadros personalizados em toda a sua localização para notificar os consumidores que estavam entrando na loja sobre a disponibilidade do produto.

Enquanto o quadro personalizado notificou os clientes da loja a qualquer momento, a rede teve problemas para traduzir seu menu mais simples para o cliente externo no domínio da tecnologia. Mas Larsen diz que este foi apenas um problema temporário.

Apesar do aumento da eficiência, há algum valor em manter um menu mais inchado, já que alguns clientes do Cheba Hut vão querer seus favoritos do menu, mesmo que não esteja disponível. “Nós realmente queremos impulsionar as vendas de nossos sanduíches básicos, mas também tendo em mente que já estamos no mercado há 22 anos e temos alguns clientes muito leais”, diz Larsen. “Então, se livrar do sanduíche de atum simplesmente não é uma opção.”

Para a maior parte, Cheba Hut retornou a um menu que oferece uma oferta semelhante à redução de peso pré-pandêmica. Mas Larsen diz que o restaurante usará o cardápio reduzido como estratégia se surgir qualquer outro problema com a cadeia de suprimentos, mesmo após a pandemia.

Como as incertezas da cadeia de suprimentos provavelmente serão uma grande parte do futuro, a simplificação do menu parece que veio para ficar - pelo menos até que os suprimentos se estabilizem. Quem faz um plano para simplificar o cardápio está mais bem equipado no setor mesmo sem o COVID.

Mas Larsen diz que a transição para um menu mais enxuto precisa ser lenta e constante.

“Você não pode ter reações instintivas nunca no mundo dos negócios, e certamente não durante a pandemia”, diz Larsen. “Mas isso não significa que você não está coletando informações, não está falando sobre decisões difíceis, não está se preparando para o que pode precisar ser feito.”


Restaurantes Slim Down Menus em meio a condições pandêmicas

A pandemia está forçando algumas operadoras a considerar o corte de itens e complexidades de seus menus.

Os hábitos do consumidor mudaram, talvez de forma irreversível, no ano passado. Os operadores estão vendo clientes que não querem escolha tanto quanto facilidade devido à pandemia, e agora os restaurantes estão reduzindo seus cardápios para acomodar essa mudança.

Bruce Reinstein, sócio da empresa de consultoria de gestão Kinetic12, diz que essa tendência de simplificação do menu não é apenas uma fase pandêmica - é o futuro.

“Claramente, não há nada de bom no COVID quando você olha para ele de uma forma geral”, diz ele. “Mas, no que diz respeito ao negócio de restaurantes, é forçado os operadores a pensar, meio que voltar ao básico e reavaliar como fazem negócios.”

Um menu reduzido é um componente da visão de Reinstein para o restaurante do futuro. De acordo com sua pesquisa, os restaurantes pós-COVID-19 vão adotar novas estratégias de eficiência para atender às expectativas do consumidor. Este “Restaurante 2.0” desafiará as configurações tradicionais, empregando uma equipe mais multifuncional, tendo mais opções sem toque e projetando cozinhas mais compactas, entre outras mudanças. Mas todos os recursos estão conectados ao menu.

“Se você tem um menu simples, ele deve ter um impacto sobre seu trabalho, seus custos, seu fluxo de receita, tudo isso. Mas você tem que começar de algum lugar ”, diz Reinstein.

Ele atribui esse encolhimento do menu em parte à psique do consumidor, que redefiniu o termo “comida caseira” desde a pandemia. Não é apenas mac ‘n’ cheese ou pot assado atualmente, é qualquer coisa que faça o cliente se sentir bem, e os donos de restaurantes podem aproveitar essa mudança descobrindo exatamente quais sabores atraem o consumidor para sua marca especificamente. A partir daí, os restaurantes podem desenvolver um cardápio mais simplificado com base nesses ingredientes para fazer com que os clientes voltem sempre.

“É assim que você deve ser criativo hoje em dia - aumentar a frequência de visitas do seu consumidor e mantê-lo simples”, diz Reinstein. “Dê a eles o que eles querem, mas faça variações disso.”

Além disso, ele aconselha os restaurantes a manter o hóspede externo em mente ao fazer alterações no menu. Ele prevê que os negócios fora do local superem as vendas presenciais, mesmo depois que a pandemia passou, então, criar um menu que seja mais fácil de executar é importante para essa dinâmica do consumidor.

A rede Torchy’s Tacos da Taco fez alterações para apoiar várias das previsões de Reinstein, tendo adicionado vários produtos externos ao seu menu durante a pandemia. Mas esses negócios externos não estão aumentando o cardápio da Torchy, eles estão simplesmente tomando o lugar de alguns dos tacos mais vendidos da rede, que a empresa cortou. Ainda assim, o CEO da Torchy G.J. Hart quer oferecer algo novo ao cliente.

“É importante para nós continuar a trazer inovações ao mercado, apesar dos desafios da COVID”, diz Hart.

Um desses itens é o Family Pack, que permite que os clientes escolham carnes, tortilhas e outras coberturas Torchy's para levar para casa e criar os próprios tacos. A marca também criou At-Home Margarita Kits para vender receitas de bebidas alcoólicas exclusivas, que variam em cada estado.

Para continuar inovando, a rede oferece o “Taco do Mês”. Por meio dessa oferta por tempo limitado, os fãs de Torchy estão vendo o ressurgimento de sabores antigos como o taco Bottle Rocket Shrimp, bem como novos itens como o Daredevil Queso Blanco.

A rede de sanduíches Cheba Hut também reduziu seu cardápio no auge da pandemia, optando por 12 sanduíches selecionados para superar a crise. O "Dank Dozen" do cardápio de Cheba Hut manteve os mais vendidos enquanto minimizava os ingredientes, criando uma estratégia de sobrevivência sólida quando os líderes não tinham certeza de como a loja se sairia.

“Não sabíamos se cairíamos para um quarto de nossas vendas, ou metade de nossas vendas, ou onde iríamos pousar”, disse Seth Larsen, diretor de relacionamento da Cheba Hut. “Portanto, tomar essas decisões rápidas era importante e definitivamente ajudou a equipe a executar.”

Ele diz que os cinco melhores sanduíches de Cheba Hut impulsionam a maior parte das vendas do restaurante, como a maioria dos outros restaurantes. Mas essa mudança levou o restaurante a colocar quadros personalizados em toda a sua localização para notificar os consumidores que estavam entrando na loja sobre a disponibilidade do produto.

Enquanto o quadro personalizado notificou os clientes da loja a qualquer momento, a rede teve problemas para traduzir seu menu mais simples para o cliente externo no domínio da tecnologia. Mas Larsen diz que este foi apenas um problema temporário.

Apesar do aumento da eficiência, há algum valor em manter um menu mais inchado, já que alguns clientes do Cheba Hut vão querer seus favoritos do menu, mesmo que não esteja disponível. “Nós realmente queremos impulsionar as vendas de nossos sanduíches básicos, mas também tendo em mente que já estamos no mercado há 22 anos e temos alguns clientes muito leais”, diz Larsen. “Então, se livrar do sanduíche de atum simplesmente não é uma opção.”

Para a maior parte, Cheba Hut voltou a um menu que oferece semelhante ao slimdown pré-pandêmico. Mas Larsen diz que o restaurante usará o menu reduzido como estratégia se surgir qualquer outro problema com a cadeia de suprimentos, mesmo após a pandemia.

Como as incertezas da cadeia de suprimentos provavelmente serão uma grande parte do futuro, a simplificação do menu parece que veio para ficar - pelo menos até que os suprimentos se estabilizem. Quem faz um plano para simplificar o cardápio está mais bem equipado no setor mesmo sem o COVID.

Mas Larsen diz que a transição para um menu mais enxuto precisa ser lenta e constante.

“Você não pode ter reações instintivas nunca no mundo dos negócios, e certamente não durante a pandemia”, diz Larsen. “Mas isso não significa que você não está coletando informações, não está falando sobre decisões difíceis, não está se preparando para o que pode precisar ser feito.”


Restaurantes Slim Down Menus em meio a condições pandêmicas

A pandemia está forçando algumas operadoras a considerar o corte de itens e complexidades de seus menus.

Os hábitos do consumidor mudaram, talvez de forma irreversível, no ano passado. Os operadores estão vendo clientes que não querem escolha tanto quanto facilidade devido à pandemia, e agora os restaurantes estão reduzindo seus cardápios para acomodar essa mudança.

Bruce Reinstein, sócio da empresa de consultoria de gestão Kinetic12, diz que essa tendência de simplificação do menu não é apenas uma fase pandêmica - é o futuro.

“Claramente, não há nada de bom no COVID quando você olha para ele de uma forma geral”, diz ele. “Mas, no que diz respeito ao negócio de restaurantes, é forçado os operadores a pensar, meio que voltar ao básico e reavaliar como fazem negócios.”

Um menu reduzido é um componente da visão de Reinstein para o restaurante do futuro. De acordo com sua pesquisa, os restaurantes pós-COVID-19 vão adotar novas estratégias de eficiência para atender às expectativas do consumidor. Este “Restaurante 2.0” desafiará as configurações tradicionais, empregando uma equipe mais multifuncional, tendo mais opções sem toque e projetando cozinhas mais compactas, entre outras mudanças. Mas todos os recursos estão conectados ao menu.

“Se você tem um menu simples, ele deve ter um impacto sobre seu trabalho, seus custos, seu fluxo de receita, tudo isso. Mas você tem que começar de algum lugar ”, diz Reinstein.

Ele atribui esse encolhimento do menu em parte à psique do consumidor, que redefiniu o termo “comida caseira” desde a pandemia. Não é apenas mac ‘n’ cheese ou pot assado atualmente, é qualquer coisa que faça o cliente se sentir bem, e os donos de restaurantes podem aproveitar essa mudança descobrindo exatamente quais sabores atraem o consumidor especificamente para sua marca. A partir daí, os restaurantes podem desenvolver um cardápio mais simplificado com base nesses ingredientes para fazer com que os clientes voltem sempre.

“É assim que você deve ser criativo hoje em dia - aumentar a frequência de visitas do seu consumidor e mantê-lo simples”, diz Reinstein. “Dê a eles o que eles querem, mas faça variações disso.”

Além disso, ele aconselha os restaurantes a manter o hóspede externo em mente ao fazer alterações no menu. Ele prevê que os negócios externos superem as vendas presenciais, mesmo depois que a pandemia passou, então, criar um menu que seja mais fácil de executar é importante para essa dinâmica do consumidor.

A rede Torchy’s Tacos da Taco fez alterações para apoiar várias das previsões de Reinstein, tendo adicionado vários produtos externos ao seu menu durante a pandemia. Mas esses negócios externos não estão aumentando o cardápio da Torchy, eles estão simplesmente tomando o lugar de alguns dos tacos mais vendidos da rede, que a empresa cortou. Ainda assim, o CEO da Torchy G.J. Hart quer oferecer algo novo ao cliente.

“É importante para nós continuar a trazer inovações para o mercado, apesar dos desafios da COVID”, diz Hart.

Um desses itens é o Family Pack, que permite que os clientes escolham carnes, tortilhas e outras coberturas Torchy's para levar para casa e criar os próprios tacos. A marca também criou At-Home Margarita Kits para vender receitas de bebidas alcoólicas exclusivas, que variam em cada estado.

Para continuar inovando, a rede oferece o “Taco do Mês”. Por meio dessa oferta por tempo limitado, os fãs de Torchy estão vendo o ressurgimento de sabores antigos como o taco Bottle Rocket Shrimp, bem como novos itens como o Daredevil Queso Blanco.

A rede de sanduíches Cheba Hut também reduziu seu cardápio no auge da pandemia, optando por 12 sanduíches selecionados para superar a crise. O "Dank Dozen" do cardápio de Cheba Hut manteve os mais vendidos enquanto minimizava os ingredientes, criando uma estratégia de sobrevivência sólida quando os líderes não tinham certeza de como a loja se sairia.

“Não sabíamos se cairíamos para um quarto de nossas vendas, ou metade de nossas vendas, ou onde iríamos pousar”, disse Seth Larsen, diretor de relacionamento da Cheba Hut. “Portanto, tomar essas decisões rápidas era importante e definitivamente ajudou a equipe a executar.”

Ele diz que os cinco melhores sanduíches de Cheba Hut impulsionam a maior parte das vendas do restaurante, como a maioria dos outros restaurantes. Mas essa mudança levou o restaurante a colocar quadros personalizados em sua localização para notificar os consumidores que estavam entrando na loja sobre a disponibilidade do produto.

Enquanto o quadro personalizado notificou os clientes da loja a qualquer momento, a rede teve problemas para traduzir seu menu mais simples para o cliente externo no domínio da tecnologia. Mas Larsen diz que este foi apenas um problema temporário.

Apesar do aumento da eficiência, há algum valor em manter um menu mais inchado, já que alguns clientes do Cheba Hut vão querer seus favoritos do menu, mesmo que não esteja disponível. “Nós realmente queremos impulsionar as vendas de nossos sanduíches básicos, mas também tendo em mente que já estamos no mercado há 22 anos e temos alguns clientes muito leais”, diz Larsen. “Então, se livrar do sanduíche de atum simplesmente não é uma opção.”

Para a maior parte, Cheba Hut voltou a um menu que oferece uma oferta semelhante à redução de peso pré-pandêmica. Mas Larsen diz que o restaurante usará o cardápio reduzido como estratégia se surgir qualquer outro problema com a cadeia de suprimentos, mesmo após a pandemia.

Como as incertezas da cadeia de suprimentos provavelmente serão uma grande parte do futuro, a simplificação do menu parece que veio para ficar - pelo menos até que os suprimentos se estabilizem. Quem faz um plano para simplificar o cardápio está mais bem equipado no setor mesmo sem o COVID.

Mas Larsen diz que a transição para um menu mais enxuto precisa ser lenta e constante.

“Você não pode ter reações instintivas nos negócios, e certamente não durante a pandemia”, diz Larsen. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Restaurants Slim Down Menus Amid Pandemic Conditions

The pandemic is forcing some operators to consider cutting items and complexities from their menus.

Consumer habits have changed, maybe irreversibly, over the past year. Operators are seeing customers who don’t want choice as much as ease due to the pandemic, and now restaurants are slimming down their menus to accommodate this change.

Bruce Reinstein, partner at management consulting firm Kinetic12, says this menu simplification trend isn’t just a pandemic phase—it’s the future.

“Clearly, there’s nothing good about COVID when you look at it from a big picture,” he says. “But as far as the restaurant business, it’s forced operators to think, to kind of go back to basics and to re-evaluate how they do business.”

A reduced menu is one component of Reinstein’s vision for the restaurant of the future. According to his research, restaurants post-COVID-19 will pick up new efficiency strategies to match consumer expectations. This “Restaurant 2.0” will challenge traditional setups by employing a more cross-functional staff, having more touchless options, and designing more compact kitchens, among other changes. But all of the features are connected to the menu.

“If you have a simple menu, it should have an impact on your labor, your costs, your revenue stream, all that. But you have to start somewhere,” Reinstein says.

He attributes this menu shrink in part to the consumer psyche, which has redefined the term “comfort food” since the pandemic. It’s not just mac ‘n’ cheese or pot roast these days, it’s anything that makes a customer feel good, and restaurateurs can take advantage of that change by figuring out exactly what flavors draw the consumer to their brand specifically. From there, restaurants can develop a more simplified menu based on these ingredients to keep customers coming back.

“That’s how to be creative in these times—increase the frequency of visits by your consumer and keep it simple,” Reinstein says. “Give them what they want, but do variations of it.”

In addition, he advises restaurants to keep the off-premises guest in mind when making menu changes. He predicts off-site business surpassing in-person sales even after the pandemic’s behind us, so creating a menu that’s easier to execute is important for this consumer dynamic.

Taco chain Torchy’s Tacos made changes supporting several of Reinstein’s predictions, having added several off-premises products to its menu during the pandemic. But these off-premises deals aren’t bloating Torchy’s menu they’re simply taking the place of some of the chain’s poorest-selling tacos, which the company slashed. Still, Torchy’s CEO G.J. Hart wants to offer something new to the customer.

“It’s important for us to continue to bring new innovations to market despite the challenges of COVID,” Hart says.

One such item is the Family Pack, which lets customers choose from Torchy’s meats, tortillas, and other toppings to take home and create the tacos themselves. The brand also created At-Home Margarita Kits to sell signature alcohol recipes, which vary state by state.

To continue with its innovation, the chain offers a “Taco of the Month.” Through this limited-time offer, Torchy’s fans are seeing the resurgence of old flavors like the Bottle Rocket Shrimp taco, as well as new items like the Daredevil Queso Blanco.

Sandwich chain Cheba Hut also pared down its menu at the height of the pandemic, opting for a select 12 sandwiches in riding out the crisis. The “Dank Dozen” of Cheba Hut’s menu kept top-sellers while minimizing ingredients, making a solid survival strategy when leaders weren’t sure how the store would fare.

“We didn’t know if we were going to be down to a quarter of our sales, or half of our sales, or where we were going to land,” says Seth Larsen, chief relationship officer of Cheba Hut. “So making those decisions quick was important, and it definitely helped the crew execute.”

He says Cheba Hut’s top five sandwiches drive most of the restaurant’s sales, like most other restaurants. But this change prompted the restaurant to place custom-made dry-erase boards across its location to notify walk-in consumers of product availability.

While the custom board notified in-store customers at a moment’s notice, the chain had trouble translating its simpler menu to the off-premises customer in the technology realm. But Larsen says this was only a temporary issue.

Despite increased efficiency, there is some value in keeping a more bloated menu, as some of Cheba Hut’s patrons will want their menu favorites—even if it’s not available. “We really want to drive sales to our core sandwiches, but also being mindful that we’ve been around for 22 years and we have some very loyal customers,” Larsen says. “So getting rid of the tuna sandwich just isn’t an option.”

For the most part, Cheba Hut has returned to a menu offering similar to the pre-pandemic slimdown. But Larsen says the restaurant will use the pared-down menu as a strategy if any other supply-chain issues arrive, even after the pandemic.

As supply-chain uncertainties will most likely be a big part of the future, menu simplification looks like it’s here to stay—at least until supplies stabilize. Those who form a plan to simplify the menu are better equipped in the industry even sans COVID.

But Larsen says the transition to a slimmer menu needs to be slow and steady.

“You can’t make knee-jerk reactions ever in business, and certainly not during the pandemic,” Larsen says. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Restaurants Slim Down Menus Amid Pandemic Conditions

The pandemic is forcing some operators to consider cutting items and complexities from their menus.

Consumer habits have changed, maybe irreversibly, over the past year. Operators are seeing customers who don’t want choice as much as ease due to the pandemic, and now restaurants are slimming down their menus to accommodate this change.

Bruce Reinstein, partner at management consulting firm Kinetic12, says this menu simplification trend isn’t just a pandemic phase—it’s the future.

“Clearly, there’s nothing good about COVID when you look at it from a big picture,” he says. “But as far as the restaurant business, it’s forced operators to think, to kind of go back to basics and to re-evaluate how they do business.”

A reduced menu is one component of Reinstein’s vision for the restaurant of the future. According to his research, restaurants post-COVID-19 will pick up new efficiency strategies to match consumer expectations. This “Restaurant 2.0” will challenge traditional setups by employing a more cross-functional staff, having more touchless options, and designing more compact kitchens, among other changes. But all of the features are connected to the menu.

“If you have a simple menu, it should have an impact on your labor, your costs, your revenue stream, all that. But you have to start somewhere,” Reinstein says.

He attributes this menu shrink in part to the consumer psyche, which has redefined the term “comfort food” since the pandemic. It’s not just mac ‘n’ cheese or pot roast these days, it’s anything that makes a customer feel good, and restaurateurs can take advantage of that change by figuring out exactly what flavors draw the consumer to their brand specifically. From there, restaurants can develop a more simplified menu based on these ingredients to keep customers coming back.

“That’s how to be creative in these times—increase the frequency of visits by your consumer and keep it simple,” Reinstein says. “Give them what they want, but do variations of it.”

In addition, he advises restaurants to keep the off-premises guest in mind when making menu changes. He predicts off-site business surpassing in-person sales even after the pandemic’s behind us, so creating a menu that’s easier to execute is important for this consumer dynamic.

Taco chain Torchy’s Tacos made changes supporting several of Reinstein’s predictions, having added several off-premises products to its menu during the pandemic. But these off-premises deals aren’t bloating Torchy’s menu they’re simply taking the place of some of the chain’s poorest-selling tacos, which the company slashed. Still, Torchy’s CEO G.J. Hart wants to offer something new to the customer.

“It’s important for us to continue to bring new innovations to market despite the challenges of COVID,” Hart says.

One such item is the Family Pack, which lets customers choose from Torchy’s meats, tortillas, and other toppings to take home and create the tacos themselves. The brand also created At-Home Margarita Kits to sell signature alcohol recipes, which vary state by state.

To continue with its innovation, the chain offers a “Taco of the Month.” Through this limited-time offer, Torchy’s fans are seeing the resurgence of old flavors like the Bottle Rocket Shrimp taco, as well as new items like the Daredevil Queso Blanco.

Sandwich chain Cheba Hut also pared down its menu at the height of the pandemic, opting for a select 12 sandwiches in riding out the crisis. The “Dank Dozen” of Cheba Hut’s menu kept top-sellers while minimizing ingredients, making a solid survival strategy when leaders weren’t sure how the store would fare.

“We didn’t know if we were going to be down to a quarter of our sales, or half of our sales, or where we were going to land,” says Seth Larsen, chief relationship officer of Cheba Hut. “So making those decisions quick was important, and it definitely helped the crew execute.”

He says Cheba Hut’s top five sandwiches drive most of the restaurant’s sales, like most other restaurants. But this change prompted the restaurant to place custom-made dry-erase boards across its location to notify walk-in consumers of product availability.

While the custom board notified in-store customers at a moment’s notice, the chain had trouble translating its simpler menu to the off-premises customer in the technology realm. But Larsen says this was only a temporary issue.

Despite increased efficiency, there is some value in keeping a more bloated menu, as some of Cheba Hut’s patrons will want their menu favorites—even if it’s not available. “We really want to drive sales to our core sandwiches, but also being mindful that we’ve been around for 22 years and we have some very loyal customers,” Larsen says. “So getting rid of the tuna sandwich just isn’t an option.”

For the most part, Cheba Hut has returned to a menu offering similar to the pre-pandemic slimdown. But Larsen says the restaurant will use the pared-down menu as a strategy if any other supply-chain issues arrive, even after the pandemic.

As supply-chain uncertainties will most likely be a big part of the future, menu simplification looks like it’s here to stay—at least until supplies stabilize. Those who form a plan to simplify the menu are better equipped in the industry even sans COVID.

But Larsen says the transition to a slimmer menu needs to be slow and steady.

“You can’t make knee-jerk reactions ever in business, and certainly not during the pandemic,” Larsen says. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Restaurants Slim Down Menus Amid Pandemic Conditions

The pandemic is forcing some operators to consider cutting items and complexities from their menus.

Consumer habits have changed, maybe irreversibly, over the past year. Operators are seeing customers who don’t want choice as much as ease due to the pandemic, and now restaurants are slimming down their menus to accommodate this change.

Bruce Reinstein, partner at management consulting firm Kinetic12, says this menu simplification trend isn’t just a pandemic phase—it’s the future.

“Clearly, there’s nothing good about COVID when you look at it from a big picture,” he says. “But as far as the restaurant business, it’s forced operators to think, to kind of go back to basics and to re-evaluate how they do business.”

A reduced menu is one component of Reinstein’s vision for the restaurant of the future. According to his research, restaurants post-COVID-19 will pick up new efficiency strategies to match consumer expectations. This “Restaurant 2.0” will challenge traditional setups by employing a more cross-functional staff, having more touchless options, and designing more compact kitchens, among other changes. But all of the features are connected to the menu.

“If you have a simple menu, it should have an impact on your labor, your costs, your revenue stream, all that. But you have to start somewhere,” Reinstein says.

He attributes this menu shrink in part to the consumer psyche, which has redefined the term “comfort food” since the pandemic. It’s not just mac ‘n’ cheese or pot roast these days, it’s anything that makes a customer feel good, and restaurateurs can take advantage of that change by figuring out exactly what flavors draw the consumer to their brand specifically. From there, restaurants can develop a more simplified menu based on these ingredients to keep customers coming back.

“That’s how to be creative in these times—increase the frequency of visits by your consumer and keep it simple,” Reinstein says. “Give them what they want, but do variations of it.”

In addition, he advises restaurants to keep the off-premises guest in mind when making menu changes. He predicts off-site business surpassing in-person sales even after the pandemic’s behind us, so creating a menu that’s easier to execute is important for this consumer dynamic.

Taco chain Torchy’s Tacos made changes supporting several of Reinstein’s predictions, having added several off-premises products to its menu during the pandemic. But these off-premises deals aren’t bloating Torchy’s menu they’re simply taking the place of some of the chain’s poorest-selling tacos, which the company slashed. Still, Torchy’s CEO G.J. Hart wants to offer something new to the customer.

“It’s important for us to continue to bring new innovations to market despite the challenges of COVID,” Hart says.

One such item is the Family Pack, which lets customers choose from Torchy’s meats, tortillas, and other toppings to take home and create the tacos themselves. The brand also created At-Home Margarita Kits to sell signature alcohol recipes, which vary state by state.

To continue with its innovation, the chain offers a “Taco of the Month.” Through this limited-time offer, Torchy’s fans are seeing the resurgence of old flavors like the Bottle Rocket Shrimp taco, as well as new items like the Daredevil Queso Blanco.

Sandwich chain Cheba Hut also pared down its menu at the height of the pandemic, opting for a select 12 sandwiches in riding out the crisis. The “Dank Dozen” of Cheba Hut’s menu kept top-sellers while minimizing ingredients, making a solid survival strategy when leaders weren’t sure how the store would fare.

“We didn’t know if we were going to be down to a quarter of our sales, or half of our sales, or where we were going to land,” says Seth Larsen, chief relationship officer of Cheba Hut. “So making those decisions quick was important, and it definitely helped the crew execute.”

He says Cheba Hut’s top five sandwiches drive most of the restaurant’s sales, like most other restaurants. But this change prompted the restaurant to place custom-made dry-erase boards across its location to notify walk-in consumers of product availability.

While the custom board notified in-store customers at a moment’s notice, the chain had trouble translating its simpler menu to the off-premises customer in the technology realm. But Larsen says this was only a temporary issue.

Despite increased efficiency, there is some value in keeping a more bloated menu, as some of Cheba Hut’s patrons will want their menu favorites—even if it’s not available. “We really want to drive sales to our core sandwiches, but also being mindful that we’ve been around for 22 years and we have some very loyal customers,” Larsen says. “So getting rid of the tuna sandwich just isn’t an option.”

For the most part, Cheba Hut has returned to a menu offering similar to the pre-pandemic slimdown. But Larsen says the restaurant will use the pared-down menu as a strategy if any other supply-chain issues arrive, even after the pandemic.

As supply-chain uncertainties will most likely be a big part of the future, menu simplification looks like it’s here to stay—at least until supplies stabilize. Those who form a plan to simplify the menu are better equipped in the industry even sans COVID.

But Larsen says the transition to a slimmer menu needs to be slow and steady.

“You can’t make knee-jerk reactions ever in business, and certainly not during the pandemic,” Larsen says. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Restaurants Slim Down Menus Amid Pandemic Conditions

The pandemic is forcing some operators to consider cutting items and complexities from their menus.

Consumer habits have changed, maybe irreversibly, over the past year. Operators are seeing customers who don’t want choice as much as ease due to the pandemic, and now restaurants are slimming down their menus to accommodate this change.

Bruce Reinstein, partner at management consulting firm Kinetic12, says this menu simplification trend isn’t just a pandemic phase—it’s the future.

“Clearly, there’s nothing good about COVID when you look at it from a big picture,” he says. “But as far as the restaurant business, it’s forced operators to think, to kind of go back to basics and to re-evaluate how they do business.”

A reduced menu is one component of Reinstein’s vision for the restaurant of the future. According to his research, restaurants post-COVID-19 will pick up new efficiency strategies to match consumer expectations. This “Restaurant 2.0” will challenge traditional setups by employing a more cross-functional staff, having more touchless options, and designing more compact kitchens, among other changes. But all of the features are connected to the menu.

“If you have a simple menu, it should have an impact on your labor, your costs, your revenue stream, all that. But you have to start somewhere,” Reinstein says.

He attributes this menu shrink in part to the consumer psyche, which has redefined the term “comfort food” since the pandemic. It’s not just mac ‘n’ cheese or pot roast these days, it’s anything that makes a customer feel good, and restaurateurs can take advantage of that change by figuring out exactly what flavors draw the consumer to their brand specifically. From there, restaurants can develop a more simplified menu based on these ingredients to keep customers coming back.

“That’s how to be creative in these times—increase the frequency of visits by your consumer and keep it simple,” Reinstein says. “Give them what they want, but do variations of it.”

In addition, he advises restaurants to keep the off-premises guest in mind when making menu changes. He predicts off-site business surpassing in-person sales even after the pandemic’s behind us, so creating a menu that’s easier to execute is important for this consumer dynamic.

Taco chain Torchy’s Tacos made changes supporting several of Reinstein’s predictions, having added several off-premises products to its menu during the pandemic. But these off-premises deals aren’t bloating Torchy’s menu they’re simply taking the place of some of the chain’s poorest-selling tacos, which the company slashed. Still, Torchy’s CEO G.J. Hart wants to offer something new to the customer.

“It’s important for us to continue to bring new innovations to market despite the challenges of COVID,” Hart says.

One such item is the Family Pack, which lets customers choose from Torchy’s meats, tortillas, and other toppings to take home and create the tacos themselves. The brand also created At-Home Margarita Kits to sell signature alcohol recipes, which vary state by state.

To continue with its innovation, the chain offers a “Taco of the Month.” Through this limited-time offer, Torchy’s fans are seeing the resurgence of old flavors like the Bottle Rocket Shrimp taco, as well as new items like the Daredevil Queso Blanco.

Sandwich chain Cheba Hut also pared down its menu at the height of the pandemic, opting for a select 12 sandwiches in riding out the crisis. The “Dank Dozen” of Cheba Hut’s menu kept top-sellers while minimizing ingredients, making a solid survival strategy when leaders weren’t sure how the store would fare.

“We didn’t know if we were going to be down to a quarter of our sales, or half of our sales, or where we were going to land,” says Seth Larsen, chief relationship officer of Cheba Hut. “So making those decisions quick was important, and it definitely helped the crew execute.”

He says Cheba Hut’s top five sandwiches drive most of the restaurant’s sales, like most other restaurants. But this change prompted the restaurant to place custom-made dry-erase boards across its location to notify walk-in consumers of product availability.

While the custom board notified in-store customers at a moment’s notice, the chain had trouble translating its simpler menu to the off-premises customer in the technology realm. But Larsen says this was only a temporary issue.

Despite increased efficiency, there is some value in keeping a more bloated menu, as some of Cheba Hut’s patrons will want their menu favorites—even if it’s not available. “We really want to drive sales to our core sandwiches, but also being mindful that we’ve been around for 22 years and we have some very loyal customers,” Larsen says. “So getting rid of the tuna sandwich just isn’t an option.”

For the most part, Cheba Hut has returned to a menu offering similar to the pre-pandemic slimdown. But Larsen says the restaurant will use the pared-down menu as a strategy if any other supply-chain issues arrive, even after the pandemic.

As supply-chain uncertainties will most likely be a big part of the future, menu simplification looks like it’s here to stay—at least until supplies stabilize. Those who form a plan to simplify the menu are better equipped in the industry even sans COVID.

But Larsen says the transition to a slimmer menu needs to be slow and steady.

“You can’t make knee-jerk reactions ever in business, and certainly not during the pandemic,” Larsen says. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Restaurants Slim Down Menus Amid Pandemic Conditions

The pandemic is forcing some operators to consider cutting items and complexities from their menus.

Consumer habits have changed, maybe irreversibly, over the past year. Operators are seeing customers who don’t want choice as much as ease due to the pandemic, and now restaurants are slimming down their menus to accommodate this change.

Bruce Reinstein, partner at management consulting firm Kinetic12, says this menu simplification trend isn’t just a pandemic phase—it’s the future.

“Clearly, there’s nothing good about COVID when you look at it from a big picture,” he says. “But as far as the restaurant business, it’s forced operators to think, to kind of go back to basics and to re-evaluate how they do business.”

A reduced menu is one component of Reinstein’s vision for the restaurant of the future. According to his research, restaurants post-COVID-19 will pick up new efficiency strategies to match consumer expectations. This “Restaurant 2.0” will challenge traditional setups by employing a more cross-functional staff, having more touchless options, and designing more compact kitchens, among other changes. But all of the features are connected to the menu.

“If you have a simple menu, it should have an impact on your labor, your costs, your revenue stream, all that. But you have to start somewhere,” Reinstein says.

He attributes this menu shrink in part to the consumer psyche, which has redefined the term “comfort food” since the pandemic. It’s not just mac ‘n’ cheese or pot roast these days, it’s anything that makes a customer feel good, and restaurateurs can take advantage of that change by figuring out exactly what flavors draw the consumer to their brand specifically. From there, restaurants can develop a more simplified menu based on these ingredients to keep customers coming back.

“That’s how to be creative in these times—increase the frequency of visits by your consumer and keep it simple,” Reinstein says. “Give them what they want, but do variations of it.”

In addition, he advises restaurants to keep the off-premises guest in mind when making menu changes. He predicts off-site business surpassing in-person sales even after the pandemic’s behind us, so creating a menu that’s easier to execute is important for this consumer dynamic.

Taco chain Torchy’s Tacos made changes supporting several of Reinstein’s predictions, having added several off-premises products to its menu during the pandemic. But these off-premises deals aren’t bloating Torchy’s menu they’re simply taking the place of some of the chain’s poorest-selling tacos, which the company slashed. Still, Torchy’s CEO G.J. Hart wants to offer something new to the customer.

“It’s important for us to continue to bring new innovations to market despite the challenges of COVID,” Hart says.

One such item is the Family Pack, which lets customers choose from Torchy’s meats, tortillas, and other toppings to take home and create the tacos themselves. The brand also created At-Home Margarita Kits to sell signature alcohol recipes, which vary state by state.

To continue with its innovation, the chain offers a “Taco of the Month.” Through this limited-time offer, Torchy’s fans are seeing the resurgence of old flavors like the Bottle Rocket Shrimp taco, as well as new items like the Daredevil Queso Blanco.

Sandwich chain Cheba Hut also pared down its menu at the height of the pandemic, opting for a select 12 sandwiches in riding out the crisis. The “Dank Dozen” of Cheba Hut’s menu kept top-sellers while minimizing ingredients, making a solid survival strategy when leaders weren’t sure how the store would fare.

“We didn’t know if we were going to be down to a quarter of our sales, or half of our sales, or where we were going to land,” says Seth Larsen, chief relationship officer of Cheba Hut. “So making those decisions quick was important, and it definitely helped the crew execute.”

He says Cheba Hut’s top five sandwiches drive most of the restaurant’s sales, like most other restaurants. But this change prompted the restaurant to place custom-made dry-erase boards across its location to notify walk-in consumers of product availability.

While the custom board notified in-store customers at a moment’s notice, the chain had trouble translating its simpler menu to the off-premises customer in the technology realm. But Larsen says this was only a temporary issue.

Despite increased efficiency, there is some value in keeping a more bloated menu, as some of Cheba Hut’s patrons will want their menu favorites—even if it’s not available. “We really want to drive sales to our core sandwiches, but also being mindful that we’ve been around for 22 years and we have some very loyal customers,” Larsen says. “So getting rid of the tuna sandwich just isn’t an option.”

For the most part, Cheba Hut has returned to a menu offering similar to the pre-pandemic slimdown. But Larsen says the restaurant will use the pared-down menu as a strategy if any other supply-chain issues arrive, even after the pandemic.

As supply-chain uncertainties will most likely be a big part of the future, menu simplification looks like it’s here to stay—at least until supplies stabilize. Those who form a plan to simplify the menu are better equipped in the industry even sans COVID.

But Larsen says the transition to a slimmer menu needs to be slow and steady.

“You can’t make knee-jerk reactions ever in business, and certainly not during the pandemic,” Larsen says. “But that doesn’t mean you’re not information gathering, you’re not talking about the hard decisions, you’re not preparing yourself for what might need to be done.”


Assista o vídeo: COMPRE TOOOODO el menú de TACO BELL (Janeiro 2022).