Receitas mais recentes

10 sorveterias internacionais que você deve visitar

10 sorveterias internacionais que você deve visitar

Todo mundo ama sorvete - a presença de sorveterias em quase todos os lugares do mundo prova isso. Mas por quais sorveterias vale a pena viajar? Aqui estão 10 de todo o mundo que você deve adicionar à sua lista de sorvete.

10 sorveterias internacionais que você deve visitar

Todo mundo ama sorvete - a presença de sorveterias em quase todos os lugares do mundo prova isso. Mas por quais sorveterias vale a pena viajar? Aqui estão 10 de todo o mundo que você deve adicionar à sua lista de sorvete.

Nº 10 Simmo’s Ice Creamery, Dunsborough, Austrália

Simmo’s Ice Creamery foi de uma pequena fábrica de creme para pai e filho, fundada em 1993 com apenas uma velha receita irlandesa e uma máquina de sorvete, para uma loja premiada com mais de 60 sabores de sorvete tradicionais e únicos, como manga macadâmia, rum e passas, e lascas de chocolate laranja.

#9 HORAS DA MANHÃ. Scannapieco, Buenos Aires, Argentina

Servindo mais de 50 sabores de gelato italiano, incluindo cinco variedades de doce de leite e refrigerantes de sorvete antiquados desde 1938, SOU. Scannapieco ainda é uma das melhores sorveterias do mercado. Eles são amados porque seu sorvete não é excessivamente cremoso, e você pode realmente saborear a fruta em seus sorvetes e sorvetes de frutas.

# 8 The Creamery, Cidade do Cabo, África do Sul

“Sorvete honesto para o bem, feito do zero, não o seu típico” é o que você encontrará em The Creamery, onde todos os ingredientes do sorvete vêm de fazendas locais. Eles têm uma rotação mensal de novos sabores; o deste mês inclui marshmallow de água de rosas com cardamomo e chocolate branco-limão.

# 7 Vaffelbageriet, Copenhagen, Dinamarca

VaffelbagerietO item mais popular é o Amerikaner, embalando até quatro colheres de sorvete em um cone e cobrindo-os com xarope, chantilly e um sopro de merengue coberto com chocolate. A sorveteria com mais de um século faz seus produtos com receitas antigas. A loja faz parte do famoso parque de diversões Tivoli Gardens, aberto apenas de meados de abril ao final de setembro.

# 6 Murphy’s, Dingle, Irlanda

Murphy’s artesanato sabores artesanais simples que são projetados para combinar. Você pode combinar chocolate com caramelo, framboesa com creme de Kerry ou sal marinho com caramelo. Seus sorvetes são feitos com água da chuva destilada, e você pode ter certeza de que muitos dos ingredientes são locais.

# 5 Perchè No !, Florença, Itália

Perchè Não! tem misturado novos lotes de sorvete todas as manhãs desde que foi inaugurado em 1939, com sabores exóticos (o nome significa "Por que não!") como chá verde matcha e cassata siciliana, feito com queijo ricota e frutas cristalizadas. A sorveteria é Favorito de Nigella Lawson; seu sabor preferido é mousse de café.

# 4 Antico Caffè Spinnato, Palermo, Itália

O sanduíche de sorvete assume uma forma tipicamente siciliana em Antico Caffè Spinnato, onde gelato de sabores variados é servido em pão brioche recém-assado. Não perca os cannolis, que também são revestidos com chocolate amargo por dentro. A loja existe desde 1860, por um bom motivo.

# 3 Vipiteno Gelateria, São Paulo, Brasil

Vipiteno Gelateria é conhecido sobretudo por sua Copa Demoiselle, um sundae feito de Doce de leite gelato coberto com pêra e xarope de gengibre, chantilly e açúcar crocante queimado. Uma colher custa $ 10, portanto, faça-a durar.

# 2 Bar Gelateria Ercole, Pizzo, Itália

Em nenhum outro lugar você encontra um tartufo (trufa) de sorvete, especialidade da cidade litorânea da Calábria, feito como se fosse em Bar Gelateria Ercole. Uma colher de calda de chocolate é embrulhada em gelato e enrolada em cacau em pó e açúcar para criar um sorvete pegajoso e achocolatado.

# 1 Fenocchio, Nice, França

Esta sorveteria francesa de propriedade familiar em uma das praças mais bonitas da capital da Riviera Francesa vem recolhendo sorvetes e sorvetes desde 1966. Servindo 61 sabores de sorvete e 34 sorvetes, Fenocchio atende ao conhecedor de sorvete, com todos os sabores clássicos e aventureiros como tomate-manjericão, cacto e abacate.


America & # 39s 10 Best Ice Cream Factory Tours

Os americanos adoram sorvete - e o que há para não amar? Bem a tempo para os dias quentes de verão, reunimos esses pontos principais para passeios à fábrica de sorvete e guloseimas refrescantes (desde que você possa comê-lo mais rápido do que derrete).

Veja como o sorvete é feito participando de um desses tours pela fábrica ou visite uma fazenda em funcionamento, um museu do sorvete ou uma sorveteria para aprender sobre o processo - e ter um gostinho.

Legenda da foto: Fazendo sorvete Graeter's em Columbus, Ohio.

Onde: Waterbury, Vermont

Os detalhes: Quer se trate de Chunky Monkey ou Chubby Hubby, os verdadeiros amantes de sorvete podem recitar os nomes caprichosos de seus pints favoritos de Ben and Jerry's, em homenagem aos fundadores Ben Cohen e Jerry Greenfield. Mas você sabia que a empresa de 30 anos se compromete a comprar leite de fazendeiros que não usam hormônios de crescimento em suas vacas? Esta empresa tem sido progressista, apartidária e humana desde o início.

Destaques: Assista a um curta-metragem sobre os primeiros dias, dê uma olhada na sala de produção e depois vá para a Sala de Sabores para saborear o sabor do dia. Observe as vacas no pasto enquanto desfruta de um piquenique com temática de sorvete, as crianças vão se divertir no playground. Depois que todos estiverem saciados, passeie pelo cemitério de sabores, onde os sabores que já se foram.

Programação da excursão: Os passeios de 30 minutos acontecem a cada meia hora. Os ingressos estão disponíveis diariamente, por ordem de chegada.

Admissão: $ 3 adultos $ 2 idosos, crianças até 12 anos não pagam. Um pacote de US $ 21 inclui um passeio, um cupom para uma cerveja e uma camiseta de visita à fábrica.

Reservas: Altamente recomendado para grupos de 10 ou mais.

Sabores favoritos: Cereja Garcia, Massa De Biscoito De Chocolate, Baunilha

Sabores novos / sazonais: Clusterfluff (sorvete de manteiga de amendoim com pedaços de caramelo, marshmallow e redemoinhos amanteigados de amendoim) Late Night Snack (sorvete de fava de baunilha com pedaços de batata frita cobertos com calda e um redemoinho de caramelo salgado).

Mais informações: tel. 866 / BJ-Tours www.benandjerrys.com

Legenda da foto: Aguardando um tour dentro do Ben & amp Jerry's em Waterbury, Vermont.

Onde: Bend

Os detalhes: Amado por suas enormes colheres de sorvete caseiro e sua operação de chocolate, Goody's é uma instituição central do Oregon.

Destaques: Você pode visitar este museu de sorvete e chocolate para descobrir a história por trás desta empresa, que começou em 1984. Um passeio de 15 minutos pela fábrica da empresa mostrará como sorvete, sorvete, barras de sorvete e chocolates são feitos - e, claro, você pode provar os produtos. A entrada inclui seis colheres.

Informações do tour: 10h-17h diariamente, a loja está aberta das 10h-21h diariamente

Sabores favoritos: Sorvete de Marionberry Oreo Cookie (os biscoitos são polvilhados à mão em cada lote, o que significa que eles permanecem crocantes)

Sabores novos / sazonais: Limonada de morango, torta de limão, coco, mirtilo

Admissão: $ 2 crianças menores de 3 anos são grátis

Mais informações: tel. 541/358-7085 http://goodyschocolates.com

Legenda da foto: Sorvete Oreo no Goody's Chocolate and Ice Cream em Bend, Oregon.

Onde: Columbus, Ohio

Os detalhes: Fundado em 1894, o Graeter's é um dos favoritos de Ohio. A empresa é conhecida por seu processo de maconha francês único, que produz apenas dois galões de sorvete por vez, garantindo um resultado super cremoso.

Destaques: Os passeios de 20 minutos nas instalações de Columbus (Graeter's está sediada em Cincinnati) oferecem um vislumbre do processo - e uma amostra.

Informações do tour: Das 9h às 15h de terça a sexta-feira

Sabores favoritos: Chocolate com Framboesa Preta

Sabores novos / sazonais: Pêssego, Chocolate com Morango

Admissão: Ligue grátis para agendar um tour ou preencher um formulário online

Mais informações: tel. 614 / 442-7611 ramal 272 www.graeters.com

Legenda da foto: Enchendo no Graeter's Ice Cream em Columbus, Ohio.

Onde: Boulder, Colorado

Os detalhes: Disponível em nove estados que vão da Califórnia ao Missouri e até o sul do Texas, o Boulder Ice Cream é feito de leite que não foi tratado com hormônios de crescimento - as vacas estão em um raio de 64 quilômetros de sua sede em Boulder. A empresa, que atua 100% com energia eólica, está transformando toda a sua linha de 150 sabores de sorvete em orgânica.

Destaques: Dê uma olhada em como o sorvete é feito e receba um copo de amostra grátis de 60 ml. A empresa está localizada a cinco minutos do centro de Boulder.

Programação da excursão: Com hora marcada, apenas das 10h às 13h, quartas-feiras e sábados

Sabores favoritos: Chocolate mexicano, coco da ilha, creme doce famoso, gotas de chocolate expresso, chá verde, coco da ilha

Sabores novos / sazonais: Copo de manteiga de amendoim, bolo de aniversário (sorvete de massa de bolo com açúcar colorido granulado)

Admissão: É necessário fazer reserva gratuita

Mais informações: tel. 303/720-1105 www.bouldericecream.com

Legenda da foto: Embalagens pints na Boulder Ice Cream Company em Boulder, Colorado.

Onde: Penn State University

Os detalhes: Lar do maior programa de instrução em fabricação de sorvete, o programa da Penn State ensinou muitos fabricantes de sorvete comerciais famosos, incluindo Ben e Jerry. A Creamery faz cerca de 100 sabores de sorvete, 10 sabores de iogurte congelado e seis sabores de sorvete.

Destaques: Não há tour, mas você pode ver os elementos de produção através do lobby de visualização na loja da Creamery, o site da Creamery oferece um tour virtual aqui.

Sabores favoritos: Vanilla, Death by Chocolate, Peachy Paterno (sorvete de pêssego com fatias de pêssego, em homenagem ao técnico de futebol Joe Paterno), LionS'more (sorvete de baunilha com biscoito de graham, pedaços de chocolate e redemoinho de marshmallow)

Sabores sazonais: Sorvete de melancia, sorvete de coco, iogurte congelado de framboesa preta

Horas: O saguão de exibição está aberto das 7h30 às 16h30 diariamente

Mais informações: tel. 814/865-9513 http://creamery.psu.edu/tour

Legenda da foto: A linha de montagem da Penn State University Berkey Creamery em State College, Pensilvânia.

Onde: Condado de Lancaster, Pensilvânia

Os detalhes: Este museu e fábrica de laticínios, inaugurado em junho de 2011, está instalado em uma antiga fábrica de seda em Columbia, um bairro no condado de Lancaster.

Destaques: O laticínio é gratuito e aberto ao público. O tour interativo explica a história do sorvete Turkey Hill, do chá gelado e das operações de laticínios da empresa. Nove exposições interativas permitem aos visitantes ordenhar uma vaca mecânica, criar um sabor de sorvete e muito mais.

Informações do tour: Visitas autoguiadas estão disponíveis todos os dias (das 10h às 21h até o Dia do Trabalho)

Sabores favoritos: Feijão De Baunilha, Lascas De Menta De Chocolate, Noz De Manteiga

Sabores novos / sazonais: Muddy Sneakers (sorvete de chocolate branco com caramelo, chocolate e doces de manteiga de amendoim em espirais de caramelo) Lancaster County whoopie pie (sorvete de chocolate com pedaços de bolo de chocolate e um redemoinho de recheio cremoso)

Admissão: $ 11,50 adultos $ 9,50 idosos e crianças (idades de 5 a 17)

Mais informações: tel. 888 / 9TOURTH www.turkeyhillexperience.com

Legenda da foto: Inside the Turkey Hill Experience no Condado de Lancaster, Pensilvânia.

Onde: Utica, Ohio

Os detalhes: Muitas das receitas da empresa familiar Velvet Ice Cream datam de 1914.

Destaques: Assista a um dos 50 sabores em produção e peça um sundae em sua sorveteria antiquada. O terreno abrange mais de 8 hectares e inclui um centro de visitantes, um zoológico, um parquinho infantil, uma trilha natural, um lago de pescar e soltar e locais para piqueniques.

Informações do tour: De hora em hora, das 11h às 15h nos dias úteis até 31 de outubro

Sabores favoritos: O sabor número um do Velvet é Buckeye Classic - um sorvete de manteiga de amendoim com um redemoinho de calda espesso e balas mini-Buckeye (bolas de manteiga de amendoim mergulhadas em chocolate)

Sabores novos / sazonais: Caramelo de mel (sorvete de mel com espirais de caramelo com infusão de mel)

Admissão: As reservas gratuitas são necessárias para grupos maiores de 14

Mais informações: tel. 800/589-5000 www.velveticecream.com

Legenda da foto: Velvet Ice Cream em Utica, Ohio.

Onde: Brenham, Texas, tours também são oferecidos nos locais Broken Arrow, Oklahoma, e Sylacauga, Alabama.

Os detalhes: A empresa começou em 1907 como uma operação de fabricação de manteiga e começou a fazer sorvete em 1911. Situada a 110 quilômetros a noroeste de Houston, a Blue Bell tem fãs devotos - seu sorvete é a terceira marca mais vendida nos Estados Unidos, mas só está disponível em 20 estados.

Destaques: Na visita guiada de 45 minutos, você verá como é feito esse sorvete artesanal, assistirá a um pequeno vídeo e, em seguida, receberá um furo muito generoso.

Programação da excursão: Os passeios de verão acontecem a cada 30 minutos (das 9h às 15h, de segunda a sexta)

Sabores favoritos: Baunilha caseira, massa Krazy Kookie, algodão doce, biscoitos e creme

Novos sabores: Coconut Fudge, Dessert Trio (sorvete de baunilha com um delicioso redemoinho de chocolate e pedaços de brownie de nozes, biscoitos de chocolate e bolo de chocolate)

Admissão: $ 5 adultos $ 3 idosos e crianças (idades 6-14)

Reservas: Os visitantes são acomodados por ordem de chegada, mas você pode reservar online para sua localização em Brenham. Desculpe, nenhuma reserva de grupo é aceita de junho a agosto.

Mais informações: tel. 800/327-8135 www.bluebell.com

Legenda da foto: Blue Bell Creamery em Brenham, Texas.

Onde: Julian, Carolina do Norte

Os detalhes: Visite esta fazenda familiar de sexta geração, que remonta à década de 1930. As vacas criadas a pasto não recebem nenhum hormônio, o que resulta em sabores ricos e texturas cremosas para seus sorvetes. A fazenda também produz e vende leite (integral, desnatado, manteiga e chocolate).

Destaques: O passeio começa com uma caminhada de 20 minutos para ver a fazenda, onde você verá bezerros alimentados com mamadeira e aprenderá como o leite é produzido. No final do passeio, você recebe uma xícara de sorvete de 180 ml grátis. Quer mais? Compre uma banheira de imersão de meio galão ou 2½ galões no local.

Informações do tour: 10h de segunda a sexta-feira (março a novembro) Loja de confeitaria aberta das 9h às 21h, de segunda a sábado, das 13h às 18h aos domingos

Sabores favoritos: Manteiga Pecan, Chocolate

Sabores sazonais: Mirtilo, Massa de Bolo (um sorvete cremoso à base de baunilha que tem gosto de bolo inglês)

Admissão: $ 6 por pessoa com 2 anos ou mais reservas são necessárias

Mais informações: tel. 336/617-5618 www.homelandcreamery.com

Legenda da foto: Homeland Creamery em Julian, Carolina do Norte.

Os detalhes: Fundada em 1913, a Blue Bunny é uma das favoritas do meio-oeste e a maior fabricante familiar de sorvetes dos EUA (disponível em todo o país).

Destaques: Você não pode fazer um tour pelas instalações, mas pode visitar o novo museu e a sorveteria no centro de Le Mars - declarada a "capital mundial do sorvete". Além de uma sorveteria de mármore recuperada e uma grande escadaria, o espaço abriga fotos históricas e quiosques interativos. Assentos ao ar livre também estão disponíveis.

Admissão: Gratuito das 9h às 22h, de segunda a sábado, do meio-dia às 22h, aos domingos

Sabores favoritos: Bunny Tracks (sorvete de baunilha com um redemoinho de caramelo com manteiga de amendoim, amendoim coberto com chocolate e coelhinhos de chocolate recheados com manteiga de amendoim)

Mais informações: tel. 712/546-4522 www.wellsenterprisesinc.com

Legenda da foto: Blue Bunny Ice Cream Parlor and Museum em Le Mars, Iowa.


Como as mulheres por trás de Coolhaus construíram um império do sorvete

Ao longo do Mês Internacional da Mulher, Chowhound está compartilhando histórias de e sobre uma grande variedade de mulheres empresárias, empresas, chefs e escritoras de livros de receitas que encontraram o sucesso no espaço alimentar. Aqui, a co-fundadora da Coolhaus, Natasha Case, traça sua ascensão à rainha dos sorvetes artesanais.

Quando Natasha Case decidiu preparar sanduíches de sorvete com temas arquitetônicos feitos do zero em sua casa em Los Angeles, era apenas para ser um hobby, algo divertido para compartilhar com a família e amigos. Mais de uma década depois, o público de Case cresceu além de seus sonhos.

Sua empresa, a Coolhaus, que ela fundou com a esposa Freya Estreller, é uma das maiores empresas do jogo do sorvete artesanal escaldante. Especializada em combinações de sabores gourmand-at-Wonka, como Balsamic Fig & amp Mascarpone e Milkshake & amp Fries, Coolhaus se tornou uma marca global com uma base de fãs massiva e obstinada - Cindy Crawford, que investiu na empresa e atuou como porta-voz, é entre os fiéis.

Tive a oportunidade de falar com Case, que refletiu sobre a viagem selvagem de sua empresa de fenômeno de caminhões a sensação mundial e as principais lições que ela aprendeu em cada parada.

Encontre o Ying para o seu Yang

Biscoitos e sorvete não foram a única combinação que ajudou a colocar Coolhaus no mapa. Na verdade, o par mais significativo na história da empresa é, sem dúvida, a parceria entre Case e Estreller.

Os dois foram marcados por um amigo em comum em um encontro, as faíscas voaram e o resto é história. Estreller não apenas se deu bem com Case (eles se casariam quatro anos depois e agora são pais orgulhosos de um filho de três anos), ela também se interessaria por seu projeto de sanduíche de sorvete.

“Ela realmente viu o potencial de negócios nisso”, diz Case. “Aquilo foi definitivamente um gamechanger.”

Case, recém-formado em arquitetura em Berkley, que na época tinha uma carreira como Disney Imagineer, ficou convencido. Mas, para seguir em frente, ela insistiu em unir forças com Estreller, um executivo de investimentos imobiliários. “Precisávamos um do outro”, diz Case. “Eu poderia fazer a marca e o marketing, o design, o P.R., e ela traria as finanças e as operações. Você realmente não poderia ter um sem o outro. "

Conte uma história atraente

Embora ainda não estivessem preparados para desistir de seus empregos diurnos, Case e Estreller sabiam que estavam no caminho certo. No final de 2008, quando os jovens empresários registraram oficialmente a LLC para Coolhaus, o movimento do sorvete artesanal mal estava em sua infância. “Havia muito espaço em branco e parecia que alguém tinha que fazer isso e eu queria que fôssemos nós”, diz Case.

Você saberá quando provar Qual é a diferença entre sorvete e creme? Mas para ter sucesso em um setor altamente competitivo, eles sabiam que sua empresa precisava ser especial, começando pelo produto. Concentrar-se exclusivamente em sanduíches de sorvete foi um começo, e eles tomaram medidas para garantir que os seus se destacassem. Eles seriam feitos com uma variedade única de biscoitos e sorvetes de alta qualidade, servidos na hora e receberiam nomes inspirados na arquitetura. (O sanduíche Frank Berry inspirado em Frank Gehry - snickerdoodles com sorvete de morango - tem sido um grampo desde o início de Coolhaus, que por si só é um riff do arquiteto holandês Rem Koolhaus.)

Quando se tratou de distribuir os sanduíches, Case e Estreller reconheceram que os food trucks estavam se tornando moda em Los Angeles e sabiamente decidiram entrar na briga.

Então, é claro, havia as próprias mulheres.

“Parecia tão óbvio que havia uma necessidade de sorvete elevado”, diz Case, “feito pela geração do milênio, feito por mulheres”.

Faça um grande respingo de abertura

Depois de meses aperfeiçoando receitas e formando seu plano de negócios, Case e Estreller estavam prontos para liberar Coolhaus para o público. Os dois estavam preparados para dedicar sua energia à empresa em tempo integral e, para avaliar o risco de apostar tudo, concordaram em empregar uma estratégia de ir grande ou ir para casa para marcar sua estreia.

“A ideia era colocá-lo diante da maior massa crítica possível para realmente ver se as pessoas têm química com essa marca ... e realmente saber se era viável”, diz Case.

Coachella, o festival de música mais famoso do país, seria o local perfeito para testar as águas. Hoje em dia, abrir uma loja no festival, que acontece a menos de duas horas de Los Angeles, é uma proposta cara (garantir uma vaga de venda de comida é quase tão cobiçado quanto subir no palco), mas em 2009 um cartão de crédito esgotado com um limite de $ 5.000 pode colocá-lo na porta.

Em retrospectiva, vender sanduíches de sorvete no calor do deserto para um bando de millennials festeiros era um acéfalo. Quando a Coolhaus abriu para negócios, às 7 horas da manhã do segundo dia do festival, uma fila enorme já estava montada. Case e Estreller haviam recuperado facilmente o investimento, mas o mais importante é que, quando o caminhão voltou a Los Angeles, havia se tornado viral, ganhando cobertura do Los Angeles Times junto com vários blogs locais e nacionais.

Esteja disposto a mudar de marcha

Depois do Coachella, Coolhaus estava oficialmente de pé e funcionando, enquanto o boca a boca continuava a se espalhar. Case e Estreller mantiveram seu plano de seguir o típico modelo de food truck de Los Angeles: estacione em um local popular e espalhe a palavra para seus seguidores nas redes sociais - se você tweetar, eles virão.

Mas então, o MySpace ligou e o plano foi jogado pela janela. O pioneiro da mídia social tão quente (na época) queria hospedar um sorvete social nos escritórios e as senhoras ficaram mais do que felizes em atendê-lo. “Com o serviço de bufê, você tem uma quantia garantida que vai ganhar”, observa Case.

Em breve, o caminhão Coolhaus se tornaria uma referência em toda a cidade, atendendo a eventos corporativos, casamentos, festas de aniversário, bar mitzvahs e outros eventos privados.

“Isso apenas mostra por que é importante lançar, mesmo que você não tenha descoberto tudo”, diz Case. “O mercado pode dizer coisas sobre o que deseja. Não tínhamos [catering] pro forma, mas agora são 95 por cento do nosso negócio [de caminhões]. ”

Saiba quando segurar 'Em, saiba quando dobrar' Em

Agora que conheciam todo o potencial de negócios de seus caminhões, Case e Estreller estavam ansiosos para expandir a marca Coolhaus para além de Los Angeles. Depois de um lançamento bem-sucedido em Austin, as mulheres voltaram seus olhos para Nova York. Eles não apenas receberam uma tonelada de pedidos via mídia social para se mudarem para a Big Apple, como quase metade de seus clientes de catering em Los Angeles tinham escritórios lá. “Já tínhamos essa demanda embutida que dava a sensação de que devíamos fazer isso”, diz Case. “É menos arriscado e menos como começar do zero.”

Seus instintos estavam certos e Coolhaus continua fazendo sucesso em Nova York. A empresa estava realmente em alta e a próxima jogada de Case e Estreller parecia ser outra enterrada. Uma vez que não havia muito apetite por sanduíches de sorvete em Nova York durante o inverno, por que não “snowbird” os caminhões em Miami, onde o tempo é sempre bom?

Embora inteligente em teoria, a mudança acabou sendo um raro passo em falso para Coolhaus. O período de sete meses em Miami foi atingido por problemas imprevistos, desde lidar com o governo local até formar a equipe certa. “Quando você não é de lá e não mora lá em tempo integral, é muito, muito difícil”, admite Case. “Às vezes, simplesmente não é o melhor ajuste e você precisa saber quando puxar o plugue.”

Ao se estabelecer, encontre o ponto ideal

Embora Coolhaus estivesse prosperando (apesar de Miami), Case e Estreller começaram a perceber as limitações de seu modelo de negócios.

“Embora o caminhão seja muito especial, pode ser muito difícil rastreá-lo”, diz Case. “Você não tem um horário regular e é meio difícil construir uma cultura em torno do caminhão de uma perspectiva corporativa.”

Uma localização física em Coolhaus parecia o próximo passo lógico. Perto de casa em Los Angeles era obrigatório, mas não ficou claro exatamente onde, na vasta extensão da cidade, eles fincariam sua bandeira. Para decidir, Case e Estreller empregaram o método Goldilocks - estabelecer-se em um bairro popular seria caro, e um local muito remoto renderia pouco tráfego.

No final, Culver City provou ser o ideal. Embora fosse a casa dos Sony Pictures Studios, sem falar de vários escritórios de arquitetura, o bairro ainda era considerado promissor há oito anos. Mudar para lá seria um risco, mas também teria suas recompensas. “Culver City pagou por todas as nossas licenças”, diz Case. “Eles pagaram pelo nosso encanamento mecânico, elétrico ... Estávamos lá por um aluguel incrível. Isso nunca aconteceria agora. ”

A loja foi inaugurada em 2011 e continua sendo uma instalação local. Mais uma vez, Coolhaus conseguiu estar à frente da curva.

Mantenha-se fiel à sua marca

Então, como uma operação de coleta faz a transição para o varejo? “Entrei em nosso Whole Foods local”, diz Case, “e encontrei [um funcionário] e perguntei: 'O que devo fazer para colocar na prateleira aqui?'” (Outra lição - não tenha medo de perguntar.)

Embora a conversa tenha rendido uma apresentação com um comprador local da Whole Foods, estocar Coolhaus seria uma venda difícil. Na época, o sorvete artesanal, muito menos o sanduíche de sorvete artesanal, tinha uma presença limitada nos supermercados. Além disso, Case e Estreller tinham uma visão muito específica de como seu produto seria vendido.

“Eu disse a ela que não queria que ninguém sentisse que estava comprometendo o que pegamos no caminhão ou na loja”, diz Case. “Vamos fazer da mesma forma e vender pelo mesmo preço. Teremos o tema arquitetônico também. Ela apenas pensou que era absolutamente louca. ”

O comprador acabou cedendo e, em 2012, a Coolhaus foi lançada em três locais da Whole Foods em Los Angeles. Eles foram um sucesso instantâneo e a marca acabou sendo escolhida pela rede de supermercados em todo o país.

Mas, à medida que a empresa passava por uma grande expansão e investidores externos se tornavam parte do grupo, Case começou a questionar seus instintos. “Quando você está recebendo muita influência de investidores ou pessoas que estão no jogo há mais tempo, a tentação é diluir a peculiaridade de uma marca e simplesmente se encaixar”, diz ela.

“Acho que passamos por isso um pouco com alguns dos sabores que trouxemos durante aquele período intermediário que eram clássicos elevados. Ainda é uma estratégia vencedora, mas acho que voltamos agora no ano passado ou assim, é realmente, realmente possuir a marca única e estranha que somos e trazer isso para tudo o que fazemos. ”


5 sorveterias que você deve visitar em Mérida

Os sorvetes mais famosos de Mérida, fazem parte da história da cidade desde 1907. Os sorvetes, "champolas" e outras guloseimas adoçaram as papilas gustativas de iucatecas e visitantes por 110 anos. Vá a qualquer um de seus locais e peça o sabor que você mais gosta. Entre os mais populares estão “mantecado”, “crema morisca”, coco e manga. Se quiser experimentar algo diferente, peça um “pionino”, eles são deliciosos!

Paseo de Montejo # 474-A x 41 y 39
Todos os dias, das 9h30 às 23h
www.elcolon.mx

Helados Polito

Outro lugar que esfriou o paladar de muitas famílias desde 1910 é Helados Politos. Você sabia que, desde o dia da inauguração, eles são administrados pela mesma família? Além disso, foram eles que criaram as deliciosas “marquesitas”. Um sabor de sorvete que você não quer perder é coco: gostoso e 100% natural.

Calle 21 x 38, Plaza Las Méridas del Mundo, Col. Campestre
Todos os dias das 12h às 21h
FB: Helados Polito

La Principal

Fundada em 1950, começou com seu famoso carrinho de sorvetes que vendia sorvetes nas ruas de Mérida. Especializado em sorvetes à base de água feitos com frutas da estação, você encontrará sabores como graviola, limão, fruta do dragão e muito mais. Desde a década de 1980, você pode visitá-los em sua loja na Calle 65 em 66 no Centro. Como dica, eles oferecem serviços para eventos, então se você está planejando seu casamento no destino, pense neles para uma sobremesa refrescante.

Calle 65 # 533 x 66, Centro
Todos os dias das 10h às 21h30
FB: Helados La Principal

Domo Gelato Helado Artesanal Argentino

Recriando as tradições do gelato argentino, o Domo Gelato oferece uma variedade de 30 sabores na zona norte da cidade. A cada mês você pode experimentar uma nova especialidade da casa, feita com frutas da estação, um sabor tradicional ou um inventado na própria cozinha.

Av. García Lavín x 27, Plaza Ateneum, Coronel Montebello
Segunda a sábado das 12h às 22h
Domingo das 14h às 22h
FB: Domo Gelato Helado Artesanal Argentino

Loja de Pola Gelato

Uma nova proposta que oferece uma variedade de produtos exclusivos. No cardápio você encontrará sabores que o farão pensar em vários costumes yucatecas, como o sorvete de “frijol con puerco” (de feijão com porco) (que, claro, você só pode tomar às segundas-feiras, assim como o prato do mesmo nome). Outro sabor único é a “marquesita”, mas obviamente também encontrará sabores tradicionais e locais. Você está pronto para experimentar algo totalmente novo?

Calle 55 # 467 x 62 y 64, Centro
Todos os dias das 12h às 22h
FB: Loja de Pola Gelato


Divirta-se comendo um Sundae de Sorvete caseiro hoje à noite
(Fonte: © bentaboe / Depositphotos.com)

Como fazer um sundae tradicional

Você pode fazer um sundae de sorveteria tradicional servindo seu sorvete caseiro em uma tigela ou copo clássico de tulipa com frutas frescas ou uma compota de frutas, e seu xarope de fonte favorito ou molho de sundae generosamente regado sobre ele.

Os operadores da sorveteria regaram liberalmente o xarope escolhido sobre uma tigela de sorvete congelado e finalizaram com uma quantidade generosa de chantilly recém-feito e uma grande cereja vermelha de maraschino.

Você encontrará uma coleção de receitas originais de xarope de fonte na seção de refrigerantes deste site que podem ser usadas com as receitas originais de sundae de sorvete.

Delicioso Sundae de Sorvete Caseiro com Molho de Chocolate
(Fonte: © Radu_Bighian / Depositphotos.com)

Essas são as mesmas receitas de xarope que os operadores de refrigerantes usavam ao fazer xaropes aromatizantes para seus próprios refrigerantes e sundaes.

Basta escolher um xarope aromatizado e regá-lo sobre seu sundae de sorvete para desfrutar de um autêntico deleite dos velhos tempos.

A maioria das sorveterias desenvolveu suas próprias combinações de sundae para atrair clientes e algumas se tornaram as favoritas nacionais.

Você pode usar sua imaginação para combinar sorvetes e coberturas favoritos e inventar seu próprio sundae.

Receitas originais de sundae de sorvete

O Formulário do Distribuidor ou Guia de Água Sodada (1915)

Sundae de pudim de frutas à moda antiga
(Fonte: © krisrobin / Depositphotos.com)

Graças às receitas originais de sundae de sorvete abaixo, você pode fazer os tradicionais sundaes que costumavam ser servidos nas sorveterias e bares de refrigerantes da América do Norte.

Os nomes extravagantes foram dados pelo inventor do sundae e promovidos como um meio de tornar as receitas mais padronizadas e uniformes em bebedouros de todo o país.

É fascinante ver os preços recomendados que parecem baixos para os preços de hoje, mas aquele sundae de 15 centavos em 1915 teria sido considerado um luxo por muitos clientes.

Sempre que uma receita original de sundae de sorvete pedir uma "colher n ° 10", uma "concha", "dipperful" ou um "prato" de sorvete, basta usar sua colher de sorvete favorita e a quantidade funcionará bem.

As quantidades de sorvete não precisam ser precisas, pois o que conta é o sabor!

Instruções para o operador da sorveteria

Ao servir sundaes, é importante fazer um apelo visual e também ao paladar. É uma política ruim criar uma mistura confusa. Nunca deixe os xaropes escorrerem pela borda do copo do sundae.

Veja se o cabo da colher não fica pegajoso com a calda. Coloque nozes, cerejas ou nozes de chantilly com cuidado sobre o sundae para que o efeito seja agradável.

É costume servir um copo de água gelada com todos os sundaes. Isso não deve ser omitido e não espere que o cliente o peça.

Muitos distribuidores servem um biscoito com o sundae. Isso é desejável, especialmente em muitos bairros, mas esse serviço não é absolutamente necessário.

Um julgamento razoável deve ser exercido quanto ao tipo de cracker servido. With chocolate, coffee, maple, and similar flavors, a salty cracker is very acceptable, but with the fruity flavors and with fresh or crushed fruits a sweet cracker is correct.

Yama Yama

For this homemade cream sundae recipe, place one (No. 12) scoopful of chocolate ice cream into a sundae dish and over it pour one ladleful of crushed pineapple.

Top off with whipped cream, a few pecans and a cherry. Charge 15 cents. —Joseph Casiragh

Árabe

Take a dish full of chocolate ice cream (or a dish of vanilla ice cream with a layer of chocolate syrup over it).

Over this place a spoonful of crushed figs and a large spoonful of whipped cream, putting on each side a Nabisco® wafer. Serve in a sherbet glass with a spoon, topping off with a maraschino cherry.

Ensino médio

For this original ice cream sundae recipe, take three portions of chocolate ice cream (No. 16 disher) and place them in triangular form on a flat ice cream saucer then place some whipped cream in the center and dust over with finely chopped walnuts, or, if preferred, a maraschino cherry may be used. Price 15 cents.

Peg O' My Heart

Into a footed sundae cup put a small dipperful of vanilla ice cream cover with marshmallow whip and then add 1/2 ounce chocolate syrup.

Insert slices of banana around the inside of the glass, and top with whipped cream and chopped nuts. Decorate with red and green cherries. Sells for 15 cents. —Bruno Schubet

Canadian Maple Leaf

For this original ice cream sundae recipe, take a saucer, such as are commonly used for sundaes and around its edge place five macaroons. Place a cone of vanilla ice cream (measured out with a 12 to the quart ice cream disher) in the center of the saucer.

Over the ice cream pour one-half ladleful of pineapple fruit and one ounce of maple syrup. Top off with a small measure of maple sugar. This formula is especially recommended.

The author writes: "We used fifty gallons of maple syrup last season, supplying customers with the Maple Leaf Sundae. Guess that's going some for Canada, the land of the maple leaf." —Harry G. Frame

Strawberry Creme

For this original ice cream sundae recipe, place a disherful of fresh strawberry ice cream in a sundae dish, pour over it marshmallow sauce, put on a spoonful of nuts and top off with whipped cream and a nice ripe strawberry. The whipped cream may be left out. Price 15 cents.

Fresh Fruit Delight

Fresh Fruit Delight Sundae
(Source: ©Don Bell)

In a sundae cup place a ladleful of fresh pineapple fruit, add half a ladleful of oranges cut into small slices, then nearly fill the cup with sliced bananas, placing two maraschino cherries, one directly opposite the other and across the top of the contents of the cup. Put a quarter of a dipperful of whipped cream in the center. Sells for 15 cents.

Dessert Francais

Ice cream in sundae glass, chocolate flavor slice on fresh banana around the edge, sprinkle with chopped nuts, top with whipped cream and maraschino cherry. Price 15 cents.

Tasty Toasty

Into a suitable dish put a dipperful of vanilla ice cream cover it with maple syrup and then sprinkle over the syrup a spoonful of crunchy cornflakes. —D. J. Fitz-Gerald

Mount Washington

On a sundae dish place a scoopful of chocolate ice cream. Cover with whipped cream, add three maraschino cherries and sprinkle over all a spoonful of walnut meats.

Metropolitana

In any deep sundae glass place vanilla ice cream molded out in an ice cream scoop pour over the cream 2 ounces of grape juice then put one large maraschino cherry on top of the cream and a spoonful of crushed walnuts on the side of the dish.

Estrela Solitária

Over a ladleful of ice cream in a sundae glass pour some chocolate syrup and cover with Texas pecans, almonds, and dates chopped together. Price 15 cents.

Rotunda

To make this original ice cream sundae recipe, put a large measure of ice cream in a tall sundae glass, cover with fresh crushed banana fruit and fill the glass with whipped cream. Place on one side maraschino cherries. Other fruit may be used if desired.

Dreamland Sundae

Into a banana-special dish lay two good sized slices of a peach. In the center place a medium sized scoopful of vanilla ice cream.

Put a spoonful of whipped cream at each side of the ice cream and cover with walnuts and a cherry.

Over the vanilla ice cream put a spoonful of crushed pineapple and top with a red and green cherry.

Serve with two Nabisco® wafers. "A simple dish to prepare and sells readily for 15 cents." —Miss Florence E. Cavanaugh

Broken Hearts

For this original ice cream sundae recipe, put a slice of brick vanilla ice cream on a 6-inch plate.

Cover the ice cream with fresh, sweetened, and slightly mashed strawberries, and over these put sweetened whipped cream top off with two whole strawberries and serve with two Nabisco® wafers. Sells for 20 cents. —C. F. Wagner

Pôr do sol

A scoop of vanilla ice cream in a sundae cup. Pour over it a thin grape syrup top with whipped cream and a fresh strawberry.

Hot Chocolate

Hot, rich chocolate syrup poured over a ladle of plan or nut ice cream. A few chopped nuts may be sprinkled over the top. Price, 10 cents.

Horário de verão

For this original ice cream sundae recipe, cut up one banana in slices and place them around the edge of an ice cream plate.

Add one measure of ice cream in center of the plate then put a row of fresh strawberry fruit (or cherries) around the cream, put on 1/2 ounce vanilla syrup and 1/2 ounce strawberry syrup and sprinkle a few nuts on top. Price, 20 cents. —L. W. Marshall

U-Wana

U-Wana Sundae
(Source: ©Don Bell)

In a six-inch dish place a scoop of vanilla ice cream, one of strawberry, and one of chocolate, round-bowl shape. In the center place half a Bartlett pear.

Top off with a teaspoonful of whipped cream, sprinkle a few crushed pecans. Top with a cherry pierced with a toothpick. Price 20 cents.

Pudim de frutas

One-half ounce crushed strawberries, 1/2 ounce crushed peaches, ice cream to fill small glass. Serve with spoon. Charge 15 cents.

Golden Sunset

Into a suitable sundae dish place a scoop of vanilla ice cream add a ladleful of crushed orange, sprinkle with finely chopped cherries, and top off with a whole cherry. Charge 10 or 15 cents.

Bostonian

For this original ice cream sundae recipe, place a measure of ice cream in a sundae glass, and over it artistically arrange sliced orange cut in diamond shaped pieces, sliced pineapple, maraschino cherries and English walnut halves. Charge 15 cents.

Frozen Cherry Bon Bon

Spoonful ice cream in 8-ounce stem glass. Almost fill with shaved ice. Add 2 ounces cherry syrup, top with layer of ice cream, and add a maraschino cherry. Price 10 cents.

Decoração

For this original ice cream sundae recipe, place in a regular sundae glass equal quantities of strawberry and chocolate ice cream.

Over this, put a ladleful of crushed walnuts and top off with whipped cream and a few fresh strawberries. Charge 15 cents when dispensed with fresh fruit. —Patrick McCole

Cherry Temptation

On a banana split dish place two scoopfuls vanilla ice cream, cover with crushed cherries, top with marshmallow cream and decorate with one red and one green cherry. Charge 15 cents.

Arranha-céu

Place two small scoopfuls of vanilla ice cream on a china platter over the ice cream pour cherry syrup with cherries and place a Nabisco® wafer over the cream then add a scoopful of strawberry ice cream, placing it on the middle of the Nabisco® wafer.

Place another Nabisco® wafer on top of the strawberry ice cream so that it will balance evenly and top off with whipped cream and a whole cherry. Charge 20 cents. —Sydney Trau

The Flirting Prince

In a highball glass place a scoopful of vanilla ice cream, covered by half an ounce of grape juice.

Add several spoonfuls of chopped bananas and syrup and cover with a layer of strawberry ice cream. Top off with whipped cream and cherries and serve for 15 cents. —R. J. Reynolds

American National

National Sundae
(Source: ©Don Bell)

Canadian National

Canadians can adapt this original ice cream sundae recipe for Canada Day by placing a spoonful of red-colored marshmallow creme on each side of the white vanilla ice cream. Top the patriotic sundae with a Maple Leaf cookie.

Take two small dishes of marshmallow creme and color (with cake coloring), one red and the other blue.

Then in a fancy sundae dish put a No. 10 ladleful of vanilla ice cream on one side of the ice cream put a spoonful of red marshmallow creme, and on the other side a spoonful of blue marshmallow creme, allowing the ice cream to show in the center of the dish so as to represent the national colors.

Sprinkle a spoonful of ground nut meats on top of the dish and serve.

Marshmallow Creme

O Marshmallow Creme called for in the recipe is an easily spreadable marshmallow-based confection that originated as a tasty filling for layer cakes.

The first cookbook to feature its recipe was Fannie Farmer's "Boston Cooking-School Cook Book" in 1895. "Mrs. Rorer's New Cook Book" had a similar marshmallow filling recipe seven years later, in 1902.

Commercial versions of the confection were first sold in the early 1900s, and today the product can be purchased throughout North America and in many European Union supermarkets.

Brands include Solo® Marshmallow Creme, Kraft® Jet-Puffed Marshmallow Creme, and Marshmallow Fluff® manufactured by Durkee Mower Inc. A popular vegan equivalent is Suzanne's Ricemellow® Creme.

TO MAKE YOUR OWN: Visit my Homemade Icing page for an easy Marshmallow Creme recipe.

Merry Countess

One ladle each of vanilla and strawberry ice cream in a sundae dish. A ladle each of crushed pineapple and strawberry. A small quantity of sliced bananas. Top with whipped cream and a red and green cherry. Sells for 15 cents. (Don C. Vann)

Walnut Pineapple

Make a regular sundae with crushed pineapple and top with a spoonful of whole or chopped walnut meats. Price, 10 cents.

The Waldorf Sundae

View of Palm Garden (Dining Room), Waldorf Astoria in 1902
(Source: Library of Congress Prints and Photographs Div. Washington, D.C., LC-USZ62-41729)

The original Waldorf Astoria Hotel was situated along Fifth Avenue in New York City and opened in 1893. It was later demolished in 1929 to make way for the building of the Empire State Building on the same site.

The Waldorf Astoria became famous for its lavish dinners and glamorous charity events that attracted wealthy celebrities, and its name inspired Restaurant-style dessert recipes like the vintage original ice cream sundae recipe featured below.

Factoid

Miss Lillian Woods also says that the name Waldorf Sundae is suggested by the resemblance of the mixture to the well known Waldorf Salad.

Put a small dipperful of chocolate cream in a sundae dish and over the ice cream put a ladleful of crushed fruit syrup over the syrup put a ladleful of whipped cream and top with broken pecan or hickory nutmeats.

The syrup is made by cutting up fine one orange, a small bunch of Malaga grapes, a few Maraschino cherries, and a little crushed pineapple.

Mix all together, add enough simple syrup to produce a mixture of about the same density as that of ordinary crushed fruit syrup, and enough of the juice from the Maraschino cherries to give the mixture the desired color the syrup is then ready to serve.

A fruit bowl filled with this mixture and placed on the service corner at the soda fountain, according to the author, "looks inviting and catches many an order for itself." —Miss Lillian Woods

Also see the authentic Waldorf Sundae Topping recipe that makes any serving of ice cream taste extra special.

The Waldorf Astoria on Fifth Avenue, New York City, 1903
(Source: Library of Congress Prints and Photographs Div. Washington, D.C., LC-DIG-stereo-1s07475)

How to View Vintage 3D Photos: The double image is an old time stereoscopic photograph. It can be viewed by leaning close and staring Através dos the images while slightly crossing the eyes until the two images convergir to form one 3D picture in the center. Some people find this method easier to do than others, but it is always fun to try.

Canadian Original Ice Cream Sundae Recipe

Mom's Recipe Scrapbooks (c. 1920s)

Dionne Quintuplets in Toronto to Meet the Queen, 1939
(Source: Public Domain)

The Dionne Surprise

Here's how to make the iconic Dionne Surprise Sundae, a Canadian original ice cream sundae recipe that became popular throughout North America after the birth of the Dionne Quintuplets at Corbeil, Ontario, on 28 May 1934.

In a banana split dish line up 5 scoops of vanilla ice cream representing Annette, Emilie, Yvonne, Cecile, and Marie, and generously top each scoop with whipped cream and a red maraschino cherry.

Next, spoon crushed strawberries along one side of the dish and crushed pineapple along the other side, and serve.


Sorvete

While the claim that Thomas Jefferson introduced sorvete to the United States is demonstrably false, he can be credited with the first known recipe recorded by an American. Jefferson also likely helped to popularize ice cream in this country when he served it at the President’s House in Washington.

One of only ten recipes surviving in Thomas Jefferson’s hand, the recipe for ice cream most likely dates to his time in France. Although Jefferson himself did not note the source, Jefferson’s granddaughter Virginia recorded a virtually identical recipe sometime later in the 19 th century and attributed it to “Petit,” indicating that Adrien Petit, Jefferson’s French butler, was the original source of this recipe.1

Ice cream recipes appear in French cookbooks starting in the late 17 th century, and in English-language cookbooks in the early 18 th century. Hannah Glasse’s popular Art of Cookery (1751 edition) contained a recipe for ice cream.2 There are accounts of ice cream being served in the American colonies as early as 1744.3

If he had not tasted it before, Jefferson no doubt encountered ice cream during his time in France (1784-1789), and it was made and served in his kitchens for the rest of his life. Among the items filling the 86 crates of belongings that Jefferson had shipped back from France were “quatre moule a glasse” [four ice molds].4 James Hemings noted “2 Freising moulds” in his 1796 inventory of the Monticello kitchen5 “4 Ice moulds” were noted in an inventory of the President’s House in Washington in February of 18096 and in Martha Jefferson Randolph’s inventory of Monticello’s contents in 1826, she noted “1 ice cream freezer” and “1 ice cream ladle.”7

Although Jefferson definitely was not the first to introduce ice cream to the United States, during his presidency it certainly became more well-known. There are no less than six references to ice cream being served at the President’s House between 1801 and 1809 several times guests described it being served inside of a crust or pastry. Manasseh Cutler, a Congressman from Massachusetts, wrote in 1802, “Ice cream very good, crust wholly dried, crumbled into thin flakes.”8 Samuel Latham Mitchill described “balls of the congeladas material inclosed in covers of warm pastry, exhibiting a curious contrast, as if the gelo had just been taken from the oven.”9 After serving as Jefferson's cook for the duration of his presidency, Honoré Julien opened a catering and confectionary business on F Street in Washington, advertising in June of 1810 that he would serve “ice creams on Sunday next, and afterwards every Wednesday and Sunday, during the season . ”10

According to food historian Karen Hess, the first ice cream recipe published in the United States appeared in Richard Briggs’s The New Art of Cookery, first published in Philadelphia in 1792.11 Ice cream remained only scantily represented in American cookbooks for some years, but after the first decade of the 19th century it was evidently becoming more commonplace. William Short wrote to Jefferson in 1821, wryly describing what he called “Wistar Parties” in Philadelphia, at which “Cakes, almonds, raisins, ice creams, wine & all the paraphanalia of the Ladies tea parties, are exhibited.”12 By 1824, Mary Randolph, a Jefferson relative by marriage, included more than twenty recipes for different types of ice cream in her cookbook, The Virginia House-Wife (1824), and the confection was well represented in later recipe collections of the Jefferson family.13

Jefferson's Ice Cream Recipe

2. bottles of good cream.
6. yolks of eggs.
1/2 lb. sugar

mix the yolks & sugar
put the cream on a fire in a casserole, first putting in a stick of Vanilla.
when near boiling take it off & pour it gently into the mixture of eggs & sugar.
stir it well.
put it on the fire again stirring it thoroughly with a spoon to prevent it's sticking to the casserole.
when near boiling take it off and strain it thro' a towel.
put it in the Sabottiere14
then set it in ice an hour before it is to be served. put into the ice a handful of salt.
put salt on the coverlid of the Sabotiere & cover the whole with ice.
leave it still half a quarter of an hour.
then turn the Sabottiere in the ice 10 minutes
open it to loosen with a spatula the ice from the inner sides of the Sabotiere.
shut it & replace it in the ice
open it from time to time to detach the ice from the sides
when well taken (prise) stir it well with the Spatula.
put it in moulds, justling it well down on the knee.
then put the mould into the same bucket of ice.
leave it there to the moment of serving it.
to withdraw it, immerse the mould in warm water, turning it well till it will come out & turn it into a plate.15

Modern Version (adapted by Marie Kimball)

Beat the yolks of 6 eggs until thick and lemon colored. Add, gradually, 1 cup of sugar and a pinch of salt. Bring to a boil 1 quart of cream and pour slowly on the egg mixture. Put in top of double boiler and when it thickens, remove and strain through a fine sieve into a bowl. When cool add 2 teaspoonfuls of vanilla. Freeze, as usual, with one part of salt to three parts of ice. Place in a mould, pack in ice and salt for several hours. For electric refrigerators, follow usual direction, but stir frequently.16


These instructions are for the traditional style of ice cream maker. It uses rock salt and ice in an outer bucket and churns the ice cream in a chilled canister. While these models are electric (no more hand-cranking required), Rival has also made ice cream makers that use gel-filled canisters. Those models are more like a small appliance, automatically churning ice cream in the frozen canister without the need for salt and ice. Since the method is different for the gel models, it's recommended that you visit the manufacturer's website for operating instructions.

You'll get the best results out of your ice cream maker if you plan ahead:

  • Prepare your favorite ice cream, sorbet, or frozen yogurt recipe. Chill the mixture in the refrigerator for an hour or two.
  • Cool the canister of the ice cream maker in the refrigerator while the mixture is chilling.
  • Make sure you have plenty of crushed ice and rock salt ready.

Any recipe can be made lower fat by changing the main ingredient—the milk or cream. Substitute 1 percent milk for whole milk, whole milk for half-and-half, and evaporated skim milk or half-and-half for cream. Make these adjustments according to your personal preference. Keep in mind that the more fat in the mixture, the smoother and creamier the texture. Lower-fat recipes result in a refreshing lighter dessert with a less creamy texture.


A Journey of a Thousand Miles Begins With a Single Scoop

Paleteria El Sabor de Michoacan is a Mexican shop in New Rochelle, N.Y.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

Paleteria El Sabor de Michoacan is a Mexican shop in New Rochelle, N.Y.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

The shop is about half a mile from the Metro-North station.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

The tequila flavor is in a shade of blue somewhere between swimming pool and Tulum and tastes like the real thing. The lime flavor is fluorescent green and tangy. The mamey flavor is hibiscus pink and tastes of almonds, raspberries and sweet potato pie.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

Gerardo Rodriguez, 44, owner and manager of Paleteria El Sabor de Michoacan, with his daughter Denisse Rodriguez, 15.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

The shop also has a variety of paletas, or ice pops, to choose from.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

A tres leches ice cream cone is loaded with chunks of milk-and-cream-soaked cake.

Crédito. Benjamin Petit for The New York Times

Sweet Dynasty can be found on a noisy avenue in Sunset Park, Brooklyn, next to a gas station.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Sweet Dynasty offers a variety of ice cream flavors such as purple taro (almost a deeper, rounder vanilla) and red bean (not too sweet, a rarity for this flavor).

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Also offered here is durian, the fruit so notoriously smelly that in some Southeast Asian nations it is illegal to eat on mass transit. Clockwise from the top is the red bean, milk tea, durian, green tea, lychee, sesame and taro, center.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

A scoop of the red bean ice cream on top of some lychee ice cream.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Cedars Pastry, is in Bay Ridge, Brooklyn, and offers a variety of Arabic sweets and treats.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Mohammed Kabbout, 28, is the owner of Cedars Pastry.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Kashta is a Lebanese clotted cream, skimmed off the top of boiled and slowly cooling milk and mixed with glassy teardrops of mastic resin.

Crédito. Nancy Borowick for The New York Times

Kwality Ice Cream, which has, among other locations, a tiny storefront in Jersey City on a strip of henna salons and Indian cash-and-carries, a few blocks from the PATH station at Journal Square.

Crédito. Matt Rainey for The New York Times

Gopi Ray, owner of the Kwality Ice Cream franchise, inside her small shop in Jersey City.

Crédito. Matt Rainey for The New York Times

Traditional Indian ice creams that can be found at Kwality Ice Cream are: pan masala, faloodeh kulfi, mava kulfi, chickoo and thandai.

Crédito. Matt Rainey for The New York Times

The three flavors of kulfi: malai (in which the rich milk reduction is steeped with cardamom pods), pista (pistachio, with a nubby rind of nuts) and kesar (saffron, the lushest).

Crédito. Matt Rainey for The New York Times

The ice cream had been cut into a half-moon slab that was dense to the touch and so cold my fingers went numb. It required teeth. It tasted as if it had been made on a planet with stronger gravity, concentrated yet airy, and smoking cold all the way down.

It’s hard to be astonished by ice cream these days. We’ve grown inured to the exotic, with a new generation of indie Baskin-Robbinses flaunting flavors like banana curry, Sichuan peppercorn, miso, garlic and lox.

But there are other, older ice cream parlors, tucked away in ethnic enclaves in and around New York City, where the flavors may seem exotic but are familiar to and beloved by those who make them where ingredients like seaweed and pine sap are not tokens of acquired worldliness but occasions for nostalgia where even the standard ice cream textures (that is, creamy or icy) don’t apply. Over the last several weeks, I’ve traveled from New Jersey to Westchester County, N.Y., to seek out some of the more intriguing and undercelebrated shops.

The ice cream I ate with my teeth isn’t ice cream as Americans know it. Called kulfi, it is an Indian dessert dating back to the Mughal Empire, made from milk simmered until thick as cream, caramelized and nutty. I had tried it many times, from freezer bins at grocers and at restaurants high and low, but never fully submitted to its charms.

Then I arrived at Kwality Ice Cream, which has, among other locations, a tiny storefront in Jersey City on a strip of henna salons and Indian cash-and-carries, a few blocks from the PATH station at Journal Square. (Only three stops from Lower Manhattan, folks.) It has three flavors of kulfi to get giddy over: malai (in which the rich milk reduction is steeped with cardamom pods), pista (pistachio, with a nubby rind of nuts) and kesar (saffron, the lushest).

Kwality has traditional American-style ice creams as well, including some confusingly labeled kulfi. “They are kulfi-inspired,” the salesclerk said. One named Mawa Kulfi approximates the flavor of kulfi’s caramelly milk base, which is sort of like vanilla ice cream minus the vanilla faloodeh, a floatlike drink of kulfi and rice vermicelli, is reimagined as Faloodeh Kulfi, a self-sufficient ice cream permeated with rosewater and crunchy with basil seeds.

Here, too, are thandai, a buttery compound of cashews, almonds and pistachios chickoo, laced with a fruit that conjures malt and spun sugar and pan masala, named after (and studded with) the sprinkle of seeds, nuts, lime, cloves and menthol that you might throw into your mouth at the end of an Indian meal. It half stings, like toothpaste.

Try to scoop up the ice cream at Cedars Pastry, in Bay Ridge, Brooklyn, and it stretches upward, tugging at the spoon, resisting. The tackiness comes from a base of kashta, Lebanese clotted cream, skimmed off the top of boiled and slowly cooling milk and mixed with glassy teardrops of mastic resin. There are mainstream flavors like chocolate and strawberry, but pay them no mind. The stretchiest varietals are plain kashta, chewy yet icy at once, and the less sugary, better balanced kashta with pistachio.

O que cozinhar neste fim de semana

Sam Sifton tem sugestões de menu para o fim de semana. Existem milhares de ideias para o que cozinhar esperando por você no New York Times Cooking.

    • In this slow-cooker recipe for shrimp in purgatory, the spicy red pepper and tomato sauce develops its deep flavors over hours.
    • Deploy some store-bought green chutney in this quick, saucy green masala chicken. could be good for dinner, and some blueberry muffins for breakfast.
    • For dessert, watermelon granita? Or a poundcake with macerated strawberries and whipped cream?
    • And for Memorial Day itself? You know we have many, many recipes for that.

    Dondurma, Turkish ice cream, is traditionally made with goat’s milk, mastic and salep, which is derived from the bulbs of wild Anatolian orchids. These flowers are now endangered, so Lezzetli Ice Cream, which recently started selling its homage to dondurma at the Hester Street Fair on the Lower East Side, substitutes Japanese konjac powder. The ice cream is churned in a machine, frozen, then beaten with a long rod (as is traditional) until it clings to itself. Of the four flavors currently available, Chios vanilla, named after the Greek island where the mastic tree grows and thoroughly colonized by flecks of vanilla bean, is the doughiest pull it and you can see strands part, as with string cheese.

    Paleteria El Sabor de Michoacan is an unassuming Mexican shop in New Rochelle, N.Y., about a half-mile from the Metro-North station. On my visit, none of the ice creams in the freezer case were labeled, but the salesclerk kindly recited them all. Best were tequila, a shade of blue somewhere between swimming pool and Tulum, tasting almost like the real thing, albeit with the edges buffed lime, fluorescent green and seethingly tangy tres leches, loaded with chunks of milk-and-cream-soaked cake and mamey, hibiscus pink and tasting of almonds, raspberries and sweet potato pie.

    Sweet Dynasty, next to a gas station on a noisy avenue in Sunset Park, Brooklyn, favors the standard voluptuous American style of ice cream, in flavors like purple taro (almost a deeper, rounder vanilla) and red bean (not too sweet, a rarity for this flavor). Also lurking is durian, the fruit so notoriously smelly that in some Southeast Asian nations it is illegal to eat on mass transit. Even in the freezer case it’s clearly trouble, the only ice cream to have a lid tamped over it. Odd, because it proved to have no scent at all, only the fruit’s vaguely sweaty flavor, a swirl of custard, papaya, caramelized onions, butterscotch and cheese.

    Imagem

    Sundaes and Cones started out in Brooklyn, before moving to the East Village. Here green tea yields just enough bitterness to prove its origins black sesame tastes more exactingly of its title ingredient than any I’ve had. But wasabi is strangely deracinated, all flavor and no heat. To the south, Chinatown Ice Cream Factory has the scenic advantage of a cinematically claustrophobic Chinatown block (plus Xi’an Famous Foods next door, for lamb face as a chaser). Scoops are wildly generous. Zen Butter captures the essence of cold sesame noodles without their slickness. But other flavors, like a pleasant but umami-less soy sauce, occasionally go out of focus.

    Thai ice creams tend to be more crystalline and sweeter, at least the ones found at SkyIce in Park Slope, Brooklyn, which does well with evanescent flavors like cucumber lime and lychee rose and at Tea Cup Cafe in Elmhurst, Queens, which serves, amid a clutter of Blythe dolls and Polaroids, ice creams suffused with green tea, military in color and tasting almost burned, and Thai thea, garish orange with a distant floral tinge.

    The Greek owners of Fresco Gelateria, in the East Village, honor their roots with a beautifully light goat cheese fig gelato, with the fluffiness of goat cheese and just enough honey and fig to approach rather than fully embrace sweetness. Across town, at Cones, in the West Village, corn ice cream comes with a toasty undertone and a dusting of cinnamon.

    One last stop: Johnny Air Mart, a Filipino market in the East Village, for a tub of Magnolia ice cream, produced by a California-based company run by a Filipino-American family. Cross your fingers that they have macapuno ube, coconut mixed with sweet purple yam, purple as hydrangea, creamy and expansive. This is the Filipino vanilla, the baseline, the comfort you return to after other flavors inevitably fall short. It tastes as if you’ve been eating it your whole life.


    Assista o vídeo: Sorvete de Suce$$o - AULA 4 (Dezembro 2021).