Receitas mais recentes

Este é o vinho tinto mais saudável e absoluto que você pode beber

Este é o vinho tinto mais saudável e absoluto que você pode beber


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Beber vinho é saudável ou não depende muito de quanto você está bebendo - e, como se constata, do tipo de vinho que você escolhe. A maioria das pessoas sabe que o vinho tinto é a opção mais saudável em comparação com o branco ou espumante. Seu especialmente mais saudável do que um litro de cerveja com muitos carboidratos.

Mas nem todos os tintos foram criados iguais, como explicará qualquer sommelier. Diferentes cultivares de uvas contêm diferentes nutrientes e vários vinhos também são preparados de diversas maneiras, o que significa que alguns têm mais açúcar do que outros. E, embora na maioria das vezes estejamos aliviados, o álcool não vem com um rótulo nutricional (às vezes, simplesmente não queremos saber), isso nos deixou curiosos.

Então, consultamos alguns sommeliers para descobrir quais vinhos tintos são mesmo o mais saudável. A salubridade do vinho tinto é em grande parte devido aos seus antioxidantes. O resveratrol tem sido associado a menores riscos de câncer, derrame e doenças cardíacas, entre outros benefícios.

“Pinot noir tem a maior concentração do altamente elogiado antioxidante resveratrol”, disse Benjamin Appleby, sommelier da Abe & Louie's em Boston, ao The Daily Meal. “É muito fácil argumentar que o pinot noir é a escolha mais saudável entre os vinhos tintos.”

Mas o resveratrol não foi a única vantagem de escolher pinot noir em vez de outra raça de vermelho.

“Embora virtualmente todos os vinhos tintos quase não tenham açúcar residual, o pinot noir normalmente tem um nível de açúcar inicial mais baixo antes da fermentação, resultando em um vinho com menos álcool e menos calorias do que, digamos, seu cabernet médio”, explicou Appleby. “Finalmente, com sua pele fina, o pinot noir tem menos taninos, o que, embora possa ter alguns benefícios próprios para a saúde, pode causar problemas para aqueles suscetíveis à azia.”

Embora o pinot noir provavelmente não o cure de todos os seus problemas de saúde, se você vai servir um copo de alguma coisa, isso vem com o mínimo de consequências - desde que você beba com moderação, é claro. Combine o seu moderado um a dois copos com uma refeição caseira saudável e seu vício noturno tornou-se seu hábito mais saudável.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é chamado de & # x201C vinho de contato com a pele.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo comprar vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como cinco onças, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014, o que significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, esvaziar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante notar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é referido como & # x201CVinho de contato com a pele. & Quot. Além da cor, as películas transmitem muitos antioxidantes benéficos para você.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo comprar vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como cinco onças, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014, o que significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, esvaziar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante observar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é referido como & # x201CVinho de contato com a pele. & Quot. Além da cor, as películas transmitem muitos antioxidantes benéficos para você.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo comprar vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como cinco onças, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014, o que significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, esvaziar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante observar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é chamado de & # x201C vinho de contato com a pele.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo a compra de vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como cinco onças, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014, o que significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, esvaziar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante observar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é referido como & # x201CVinho de contato com a pele. & Quot. Além da cor, as películas transmitem muitos antioxidantes benéficos para você.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo a compra de vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como cinco onças, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014, o que significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, esvaziar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante observar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Algumas pesquisas mostraram que os bebedores moderados de vinho são mais magros, fazem mais exercícios (!) E consomem mais antioxidantes, incluindo aqueles não encontrados no vinho. Mas você deve estar se perguntando: alguns vinhos são mais saudáveis ​​do que outros? A resposta curta é sim. Continue lendo para ver minha classificação de vinhos com base na proteção à saúde que eles podem oferecer & # x2014 e por que a moderação é fundamental, independentemente do que você despeje em seu copo.

1. Tintos secos

Os vinhos tintos rubi são os vinhos mais saudáveis, com mais antioxidantes do que todas as outras variedades. Isso porque as cascas das uvas não são removidas durante a fermentação. Os antioxidantes que as peles escuras fornecem, como as procianidinas, têm sido associados a benefícios à saúde, incluindo proteção contra doenças cardíacas e, possivelmente, longevidade.

Para o registro, os pesquisadores observam que os vinhos do sudoeste da França e da Sardenha tendem a ter níveis mais elevados de procianidinas. Em média, os vinhos dessas duas áreas tinham cinco vezes mais procianidinas do que os vinhos da Espanha, América do Sul, EUA e Austrália.

2. Vinhos de laranja

Depois do tinto seco, sua melhor aposta é o vinho de laranja, que foi descrito como "vinho branco feito como o tinto". Na produção de vinho branco, as películas são normalmente removidas logo após as uvas serem prensadas. Nos vinhos de laranja & # x2014, que são feitos com uvas verdes & # x2014, as cascas permanecem em contato com o suco (por qualquer período de uma semana a um ano), o que resulta em vinho com uma tonalidade laranja. É por isso que o vinho de laranja às vezes é referido como & # x201CVinho de contato com a pele. & Quot. Além da cor, as películas transmitem muitos antioxidantes benéficos para você.

3. Ros& eacute

Geralmente, ros & # xE9 é feito com uvas de vinho tinto, mas o tempo de & # x201Cskin contact & # x201D é mais curto do que com vinho tinto e vinho de laranja. Para vinho tinto, pode ser de um a dois meses, enquanto para ros & # xE9, geralmente de 2 a 20 horas. Menos tempo de contato significa menos antioxidantes.

4. Brancos secos

Na produção de vinho branco, geralmente não há tempo de & # x201Cskin contact & # x201D, o que significa que os fitonutrientes da pele não chegam ao vinho. Embora eu não ache que o branco seco seja uma escolha "ruim", ele está simplesmente perdendo algumas das propriedades potencialmente protetoras de suas contrapartes mais coloridas.

5. Doces brancos

Os vinhos brancos doces são doces porque, é claro, contêm mais açúcar. Por exemplo, uma dose de cinco onças de Moscato contém 21 gramas de carboidratos, com 13 de açúcar. Compare isso com a mesma porção de chardonnay, que tem 3 gramas de carboidratos com 1 de açúcar. Pense nessas variedades como sobremesa e faça-lhes guloseimas ocasionais.

Você está pronto para se livrar do açúcar adicionado? Inscreva-se no nosso Desafio Sugar Detox de 14 dias!

Algumas notas finais.

Recomendo a compra de vinho orgânico, tanto porque é melhor para o meio ambiente, quanto para evitar resíduos de pesticidas. Em um relatório francês, 100% dos 92 vinhos testados continham resíduos de pesticidas. Embora não conheçamos totalmente os efeitos, algumas pesquisas associam a exposição a resíduos de pesticidas à infertilidade.

Além do mais, os vinhos orgânicos não contêm sulfitos adicionados, conservantes que podem desencadear efeitos colaterais desagradáveis ​​para algumas pessoas, desde nariz entupido e espirros até sintomas semelhantes aos da asma e dores de cabeça. Seja qual for o tipo, escolha orgânico sempre que puder.

E certifique-se de não exagerar. As diretrizes atuais de nutrição e saúde recomendam no máximo uma bebida por dia para mulheres e duas para homens. Para vinho, uma bebida é definida como 150 ml, que é um pouco menos do que o tamanho de um recipiente de iogurte. E não, sua dose de bebida não & # x201Role & # x201D & # x2014 significa que você não pode se abster por três dias e, em seguida, terminar uma garrafa inteira em uma noite.

A ingestão de álcool acima do moderado aumenta o risco de doenças cardíacas e está associada a um risco maior de cirrose hepática, hipertensão, câncer do trato gastrointestinal superior e derrame.

Também é importante notar que, mesmo com moderação, o vinho e outros tipos de álcool estão associados a um risco maior de câncer de mama. Além disso, um novo estudo concluiu que mais de cinco drinques por semana podem encurtar a expectativa de vida.

O que tudo isso significa é que quantos você bebe é muito mais importante do que o que você bebe. E se você tem histórico familiar de câncer de mama, não beber pode oferecer a melhor proteção. Quanto aos antioxidantes protetores do vinho tinto, você pode engoli-los na forma de uvas totalmente escuras ou adicionar um pouco de suco de uva Concord ao seu H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, é Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times autor de best-sellers e consultor do New York Yankees e do Brooklyn Nets.


Os 5 tipos de vinho mais saudáveis, classificados

Veja como um nutricionista classifica os vinhos, de tintos secos a brancos doces.

Se você gosta de vinho, provavelmente levantou uma ou duas taças para os relatos de que bebê-lo é bom para você. Some research has shown that moderate wine drinkers are leaner, exercise more(!), and consume more antioxidants, including those not found in wine. But you might be wondering, are certain wines healthier than others? A resposta curta é sim. Read on for my ranking of wines based on the health protection they may offer𠅊nd why moderation is key, regardless of what you pour into your glass.

1. Dry reds

Ruby red wines are the healthiest wines, with more antioxidants than all the other varieties. That&aposs because the grape skins aren’t removed during fermentation. The antioxidants the dark skins provide, such as procyanidins, have been linked to health benefits including heart disease protection, and possibly longevity.

For the record, researchers note that wines from southwest France and Sardinia tend to have higher levels of procyanidins. On average, wines from these two areas had five times more procyanidins than wines from Spain, South America, the U.S., and Australia.

2. Orange wines

After dry red, your best bet is orange wine, which has been described as "white wine made like red." In white wine making, the skins are typically removed just after the grapes are pressed. In orange wines—which are made with green grapes—the skins remain in contact with the juice (for anywhere from one week to one year), which results in wine with an orange hue. This is why orange wine is sometimes referred to as “skin contact wine." In addition to color, the skins impart plenty for good-for-you antioxidants.

3. Rosé

Generally, rosé is made using red wine grapes, but the “skin contact” time is shorter than with red wine and orange wine. For red wine, it may be one to two months whereas for rosé, it’s often 2 to 20 hours. Less contact time means fewer antioxidants.

4. Dry whites

In white wine production there is generally no “skin contact” time, which means phytonutrients from the skin don’t make their way into the wine. While I don&apost think dry white is a "bad" choice, it&aposs just missing some of the potentially protective properties of its more colorful counterparts.

5. Sweet whites

Sweet white wines are sweet because, of course, they contain more sugar. For example, a five-ounce pour of Moscato contains 21 grams of carb, with 13 as sugar. Compare that to the same portion of chardonnay, which has 3 grams of carb with 1 as sugar. Think of these varieties as dessert, and make them occasional treats.

Are you ready to ditch added sugar? Sign up for our 14-Day Sugar Detox Challenge!

A few final notes .

I recommend purchasing organic wine, both because it&aposs better for the environment, and to avoid pesticide residues. In one French report, 100% of 92 wines tested contained pesticide residues. While we don&apost fully know the effects, some research links pesticide residue exposure to infertility.

What&aposs more, organic wines don’t contain added sulfites, preservatives that can trigger nasty side effects for some people, from a stuffy nose and sneezing to asthma-like symptoms and headaches. Whatever the type, choose organic whenever you can.

And make sure you don&apost go overboard. The current nutrition and health guidelines recommend a maximum of one drink a day for women, and two for men. For wine, one drink is defined as five ounces, which is a little less than the size of a yogurt container. And nope, your drink allowance doesn&apost “roll over”—meaning you can&apost abstain for three days, and then polish off a whole bottle in one night.

An alcohol intake above moderate increases the risk of heart disease, and is linked to a higher risk of liver cirrhosis, high blood pressure, cancers of the upper gastrointestinal tract, and stroke.

It&aposs also important to note that even in moderation, wine and other types of alcohol are associated with a greater risk of breast cancer. Plus, a new study concluded that more than five drinks a week may shorten life span.

What all this means is that quantos you drink is far more important that what you drink. And if you have a family history of breast cancer, not drinking at all may offer the best protection. As for those protective antioxidants in red wine, you can gobble them up in the form of whole dark grapes, or add a splash of Concord grape juice to your H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, is Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times best-selling author, and a consultant for the New York Yankees and Brooklyn Nets.


The 5 Healthiest Types of Wine, Ranked

Here's how a nutritionist rates wines, from dry reds to sweet whites.

If you like wine, you&aposve probably raised a glass (or two) to the reports that drinking it is good for you. Some research has shown that moderate wine drinkers are leaner, exercise more(!), and consume more antioxidants, including those not found in wine. But you might be wondering, are certain wines healthier than others? A resposta curta é sim. Read on for my ranking of wines based on the health protection they may offer𠅊nd why moderation is key, regardless of what you pour into your glass.

1. Dry reds

Ruby red wines are the healthiest wines, with more antioxidants than all the other varieties. That&aposs because the grape skins aren’t removed during fermentation. The antioxidants the dark skins provide, such as procyanidins, have been linked to health benefits including heart disease protection, and possibly longevity.

For the record, researchers note that wines from southwest France and Sardinia tend to have higher levels of procyanidins. On average, wines from these two areas had five times more procyanidins than wines from Spain, South America, the U.S., and Australia.

2. Orange wines

After dry red, your best bet is orange wine, which has been described as "white wine made like red." In white wine making, the skins are typically removed just after the grapes are pressed. In orange wines—which are made with green grapes—the skins remain in contact with the juice (for anywhere from one week to one year), which results in wine with an orange hue. This is why orange wine is sometimes referred to as “skin contact wine." In addition to color, the skins impart plenty for good-for-you antioxidants.

3. Rosé

Generally, rosé is made using red wine grapes, but the “skin contact” time is shorter than with red wine and orange wine. For red wine, it may be one to two months whereas for rosé, it’s often 2 to 20 hours. Less contact time means fewer antioxidants.

4. Dry whites

In white wine production there is generally no “skin contact” time, which means phytonutrients from the skin don’t make their way into the wine. While I don&apost think dry white is a "bad" choice, it&aposs just missing some of the potentially protective properties of its more colorful counterparts.

5. Sweet whites

Sweet white wines are sweet because, of course, they contain more sugar. For example, a five-ounce pour of Moscato contains 21 grams of carb, with 13 as sugar. Compare that to the same portion of chardonnay, which has 3 grams of carb with 1 as sugar. Think of these varieties as dessert, and make them occasional treats.

Are you ready to ditch added sugar? Sign up for our 14-Day Sugar Detox Challenge!

A few final notes .

I recommend purchasing organic wine, both because it&aposs better for the environment, and to avoid pesticide residues. In one French report, 100% of 92 wines tested contained pesticide residues. While we don&apost fully know the effects, some research links pesticide residue exposure to infertility.

What&aposs more, organic wines don’t contain added sulfites, preservatives that can trigger nasty side effects for some people, from a stuffy nose and sneezing to asthma-like symptoms and headaches. Whatever the type, choose organic whenever you can.

And make sure you don&apost go overboard. The current nutrition and health guidelines recommend a maximum of one drink a day for women, and two for men. For wine, one drink is defined as five ounces, which is a little less than the size of a yogurt container. And nope, your drink allowance doesn&apost “roll over”—meaning you can&apost abstain for three days, and then polish off a whole bottle in one night.

An alcohol intake above moderate increases the risk of heart disease, and is linked to a higher risk of liver cirrhosis, high blood pressure, cancers of the upper gastrointestinal tract, and stroke.

It&aposs also important to note that even in moderation, wine and other types of alcohol are associated with a greater risk of breast cancer. Plus, a new study concluded that more than five drinks a week may shorten life span.

What all this means is that quantos you drink is far more important that what you drink. And if you have a family history of breast cancer, not drinking at all may offer the best protection. As for those protective antioxidants in red wine, you can gobble them up in the form of whole dark grapes, or add a splash of Concord grape juice to your H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, is Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times best-selling author, and a consultant for the New York Yankees and Brooklyn Nets.


The 5 Healthiest Types of Wine, Ranked

Here's how a nutritionist rates wines, from dry reds to sweet whites.

If you like wine, you&aposve probably raised a glass (or two) to the reports that drinking it is good for you. Some research has shown that moderate wine drinkers are leaner, exercise more(!), and consume more antioxidants, including those not found in wine. But you might be wondering, are certain wines healthier than others? A resposta curta é sim. Read on for my ranking of wines based on the health protection they may offer𠅊nd why moderation is key, regardless of what you pour into your glass.

1. Dry reds

Ruby red wines are the healthiest wines, with more antioxidants than all the other varieties. That&aposs because the grape skins aren’t removed during fermentation. The antioxidants the dark skins provide, such as procyanidins, have been linked to health benefits including heart disease protection, and possibly longevity.

For the record, researchers note that wines from southwest France and Sardinia tend to have higher levels of procyanidins. On average, wines from these two areas had five times more procyanidins than wines from Spain, South America, the U.S., and Australia.

2. Orange wines

After dry red, your best bet is orange wine, which has been described as "white wine made like red." In white wine making, the skins are typically removed just after the grapes are pressed. In orange wines—which are made with green grapes—the skins remain in contact with the juice (for anywhere from one week to one year), which results in wine with an orange hue. This is why orange wine is sometimes referred to as “skin contact wine." In addition to color, the skins impart plenty for good-for-you antioxidants.

3. Rosé

Generally, rosé is made using red wine grapes, but the “skin contact” time is shorter than with red wine and orange wine. For red wine, it may be one to two months whereas for rosé, it’s often 2 to 20 hours. Less contact time means fewer antioxidants.

4. Dry whites

In white wine production there is generally no “skin contact” time, which means phytonutrients from the skin don’t make their way into the wine. While I don&apost think dry white is a "bad" choice, it&aposs just missing some of the potentially protective properties of its more colorful counterparts.

5. Sweet whites

Sweet white wines are sweet because, of course, they contain more sugar. For example, a five-ounce pour of Moscato contains 21 grams of carb, with 13 as sugar. Compare that to the same portion of chardonnay, which has 3 grams of carb with 1 as sugar. Think of these varieties as dessert, and make them occasional treats.

Are you ready to ditch added sugar? Sign up for our 14-Day Sugar Detox Challenge!

A few final notes .

I recommend purchasing organic wine, both because it&aposs better for the environment, and to avoid pesticide residues. In one French report, 100% of 92 wines tested contained pesticide residues. While we don&apost fully know the effects, some research links pesticide residue exposure to infertility.

What&aposs more, organic wines don’t contain added sulfites, preservatives that can trigger nasty side effects for some people, from a stuffy nose and sneezing to asthma-like symptoms and headaches. Whatever the type, choose organic whenever you can.

And make sure you don&apost go overboard. The current nutrition and health guidelines recommend a maximum of one drink a day for women, and two for men. For wine, one drink is defined as five ounces, which is a little less than the size of a yogurt container. And nope, your drink allowance doesn&apost “roll over”—meaning you can&apost abstain for three days, and then polish off a whole bottle in one night.

An alcohol intake above moderate increases the risk of heart disease, and is linked to a higher risk of liver cirrhosis, high blood pressure, cancers of the upper gastrointestinal tract, and stroke.

It&aposs also important to note that even in moderation, wine and other types of alcohol are associated with a greater risk of breast cancer. Plus, a new study concluded that more than five drinks a week may shorten life span.

What all this means is that quantos you drink is far more important that what you drink. And if you have a family history of breast cancer, not drinking at all may offer the best protection. As for those protective antioxidants in red wine, you can gobble them up in the form of whole dark grapes, or add a splash of Concord grape juice to your H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, is Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times best-selling author, and a consultant for the New York Yankees and Brooklyn Nets.


The 5 Healthiest Types of Wine, Ranked

Here's how a nutritionist rates wines, from dry reds to sweet whites.

If you like wine, you&aposve probably raised a glass (or two) to the reports that drinking it is good for you. Some research has shown that moderate wine drinkers are leaner, exercise more(!), and consume more antioxidants, including those not found in wine. But you might be wondering, are certain wines healthier than others? A resposta curta é sim. Read on for my ranking of wines based on the health protection they may offer𠅊nd why moderation is key, regardless of what you pour into your glass.

1. Dry reds

Ruby red wines are the healthiest wines, with more antioxidants than all the other varieties. That&aposs because the grape skins aren’t removed during fermentation. The antioxidants the dark skins provide, such as procyanidins, have been linked to health benefits including heart disease protection, and possibly longevity.

For the record, researchers note that wines from southwest France and Sardinia tend to have higher levels of procyanidins. On average, wines from these two areas had five times more procyanidins than wines from Spain, South America, the U.S., and Australia.

2. Orange wines

After dry red, your best bet is orange wine, which has been described as "white wine made like red." In white wine making, the skins are typically removed just after the grapes are pressed. In orange wines—which are made with green grapes—the skins remain in contact with the juice (for anywhere from one week to one year), which results in wine with an orange hue. This is why orange wine is sometimes referred to as “skin contact wine." In addition to color, the skins impart plenty for good-for-you antioxidants.

3. Rosé

Generally, rosé is made using red wine grapes, but the “skin contact” time is shorter than with red wine and orange wine. For red wine, it may be one to two months whereas for rosé, it’s often 2 to 20 hours. Less contact time means fewer antioxidants.

4. Dry whites

In white wine production there is generally no “skin contact” time, which means phytonutrients from the skin don’t make their way into the wine. While I don&apost think dry white is a "bad" choice, it&aposs just missing some of the potentially protective properties of its more colorful counterparts.

5. Sweet whites

Sweet white wines are sweet because, of course, they contain more sugar. For example, a five-ounce pour of Moscato contains 21 grams of carb, with 13 as sugar. Compare that to the same portion of chardonnay, which has 3 grams of carb with 1 as sugar. Think of these varieties as dessert, and make them occasional treats.

Are you ready to ditch added sugar? Sign up for our 14-Day Sugar Detox Challenge!

A few final notes .

I recommend purchasing organic wine, both because it&aposs better for the environment, and to avoid pesticide residues. In one French report, 100% of 92 wines tested contained pesticide residues. While we don&apost fully know the effects, some research links pesticide residue exposure to infertility.

What&aposs more, organic wines don’t contain added sulfites, preservatives that can trigger nasty side effects for some people, from a stuffy nose and sneezing to asthma-like symptoms and headaches. Whatever the type, choose organic whenever you can.

And make sure you don&apost go overboard. The current nutrition and health guidelines recommend a maximum of one drink a day for women, and two for men. For wine, one drink is defined as five ounces, which is a little less than the size of a yogurt container. And nope, your drink allowance doesn&apost “roll over”—meaning you can&apost abstain for three days, and then polish off a whole bottle in one night.

An alcohol intake above moderate increases the risk of heart disease, and is linked to a higher risk of liver cirrhosis, high blood pressure, cancers of the upper gastrointestinal tract, and stroke.

It&aposs also important to note that even in moderation, wine and other types of alcohol are associated with a greater risk of breast cancer. Plus, a new study concluded that more than five drinks a week may shorten life span.

What all this means is that quantos you drink is far more important that what you drink. And if you have a family history of breast cancer, not drinking at all may offer the best protection. As for those protective antioxidants in red wine, you can gobble them up in the form of whole dark grapes, or add a splash of Concord grape juice to your H2O.

Cynthia Sass, MPH, RD, is Saúde& # x2019s editor contribuinte de nutrição, um New York Times best-selling author, and a consultant for the New York Yankees and Brooklyn Nets.


Assista o vídeo: Lampka wina - dobra dla zdrowia? Joanna Zawadzka. Porady dietetyka klinicznego (Pode 2022).